Posts in category

ESSE EU TIVE EM VINIL

Digressões de um apaixonado por música

UNFORGETTABLE FIRE | U2 (1984)

Leia mais

PLAYED (The Bodines, 1987)

Leia mais

UNKNOWN PLEASURES (Joy Division, 1979)

Leia mais

Foto banda Bauhaus

Esse era o vinil que toda vez que eu pegava para ouvir lembrava do que deixei de fazer para comprá-lo. Ele apareceu lá na Muzak (loja de discos cult da cidade, já comentada em seções anteriores) numa época pré-Micareta (a Micareta é o Carnaval aqui da cidade, só que no mês de abril/maio). Nessa mesma …

Foto U2 , de 1984

“Quando os discos do U2 e Lou Reed ajudaram a visualizar a intolerância” Você me condenaria se dissesse que “troquei” o Mistrial de Lou Reed por esse álbum do U2 há cerca de 30 anos atrás? Não foi exatamente uma troca. Um amigo possuía o Unforgettable Fire e eu era interessado no disco. Ele disse …

Foto de Siouxsie Sioux

Esta é uma seção do site feita de memórias. Memórias da época em que eu comprava e colecionava vinis. Vinis esses que tiveram quase todos o mesmo destino, a coleção de um amigo, onde talvez permanecem até hoje. Vendê-los não significava que não gostava deles, ao contrário. Mas era uma fase de transição para o …

Foto da banda The Bodines, para texto do álbum "Played"

Quem nos acompanha sabe que nem todos os discos comentados aqui nessa coluna possuem a mesma força ou carga emocional ou uma historinha curiosa/interessante. Embora, olhando em retrospecto, a maioria dos que aqui já foram comentados possuíam. Essa explicação não foi com o objetivo de desmerecer ou diminuir a história do vinil do quarteto britânico …

Foto Joy Division para coluna Esse Eu Tive em Vinil

CERCA DE 30 ANOS ATRÁS… CENA 1 (Cabaret Voltaire, loja de discos que costumava frequentar) – Eu e alguns amigos ouvindo som e conversando. CENA 2 – Chega um outro amigo e frequentador assíduo da loja e diz: – Vocês já viram uma loja nova que inaugurou num prédio aqui perto? O nome é Muzak. Tem umas coisas …

mercenárias-banda

“Cadê as Armas é um verdadeiro ‘chute no olho’ e um dos melhores álbuns do rock brasileiro” Se essa seção seguisse uma ordem cronológica na sequência de aquisição dos meus vinis, “Cadê as Armas” seria o primeiro disco resenhado. Mas os caminhos que trilhamos aqui são “erráticos”, no sentido de não haver uma cronologia, seguindo …

“De volta aos anos 90 e às tardes melancólicas na ‘casa do amor’” Muitos dos vinis que ouvia na dobradinha fim dos 80/início dos 90 tinha estampado o selo Stiletto, que chegava a ser um sinônimo de música de boa qualidade, boa bandas e álbuns que nenhum outro selo tinha peito para despejar no mercado …

“O punk rock por um outro prisma” Quando ouvi esse disco do Dead Kennedys pela primeira vez o que pensei de pronto foi: há muito mais do que três acordes na música desses caras, as letras e atitudes conectam com o “do it yourself”, mas esses caras incorporam de forma surpreendente uma série de outras …

Ao longo da vida passamos pelas mais variadas situações, adquirimos traumas, acumulamos experiências, e tentamos tirar um aprendizado de tudo isso para que possamos evoluir como pessoa, ou nos tornarmos melhor, ou nos conhecermos melhor. Olhar para dentro de si pode trazer à tona uma série de sentimentos e pensamentos que nem todos estão dispostos …

“Quanto mais barulhento melhor” As guitarras barulhentas do Sonic Youth, JAMC e MBV já haviam preparado meus tímpanos adequadamente para todo e qualquer tipo de barulho que viesse a seguir, então o “encontro” com a banda de Leeds aconteceu de forma tranquila, gerando paixão à primeira vista, mesmo tendo seu cartão de visita o nome …