Novo RHCP a caminho e novas do Dry Cleaning, Preocupations e The House of Love


Foto do red Hot Cili Peppers para notícia de Return of the Dream Canteen

Quando fizemos a resenha de Unlimited Love, o álbum mais recente do Red Hot Chili Peppers, comentamos sobre a banda ter afirmado em entrevista que produziram bastante canções.

Para quem pensou que era conversa fiada, eis o resultado dessa profusão de ideias após a volta do queridinho guitarrista John Frusciante, mais um álbum (e duplo) dos californianos para esse ano. A nova “bolacha”, cuja capa é bem psicodélica, chama-se  Return of the Dream Canteen e sai no dia 14 de outubro. “Fomos em busca de nós mesmos como a banda que de alguma forma sempre fomos”, afirmaram em comunicado do anúncio. Segue-se no aguardo da lista das faixas bem como de algum single do novo trabalho.

Capa do álbum Return of the Dream Canteen, do Red Hot Chili Peppers

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dry Cleaning lança “Anna Calls From The Arctic”, segundo single de ‘Stumpwork’

Dry Cleaning Share New Single “Anna Calls From the Arctic
Foto | Ben Rayner

E uma das bandas mais badaladas da cena britânica atual, o quarteto Dry Cleaning, soltou mais um single que estará em seu novo álbum, o desde sempre aguardadíssimo Stumpwork, que já anunciamos anteriormente aqui e que será lançado no dia 21 de outubro.

“Anna Calls From The Arctic” é a segunda faixa do novo trabalho, “Don’t Press Me” foi a primeira a dar as caras. Junto com o lançamento da canção, soltaram um vídeo (chamado de official visualiser), produzido pelo próprio grupo em que um patinador desliza no gelo ao longo dos quase cinco minutos de duração da faixa. Detalhe, a faixa anterior não chegava nem aos dois minutos.

Após hiato de quatro anos, Preocupations está de volta

Foto da banda Preocupations, que irá lançar Arrangement

O quarteto Pós-Punk canadense Preocupations, anteriormente conhecido como Viet Cong, está de volta quatro anos desde o lançamento New Material (2018). Seu sucessor chama-se Arrangements e será lançado em setembro.

O grupo apresentou a fantasmagórica “Death of Melody”, segundo single do novo disco, o quarto com o novo nome, e numa pegada que lembra bastante Interpol, mas sem perder aquela estranheza típica da sonoridade do grupo. O primeiro single foi “Ricochet”, lançado no mês de junho. “É sobre ter uma música presa na sua cabeça e não ter ideia do que é, e se levar à beira da demência tentando descobrir o que é”, disse o vocalista e compositor Matthew Flegal no comunicado à imprensa. “Trata-se de conhecer e esquecer, existir no meio termo entre o permanente e o temporário”, concluiu.

Com o single “Clouds”, The House of Love marca o seu retorno

Foto da banda The House of Love, 2022

Em algum momento dos anos 90, Guy Chadwick e seu The House of Love foram cotados para serem a maior banda da Inglaterra, mas os vários percalços ao longo da carreira acabaram impedindo que a profecia se realizasse.

Entre uso abusivo de drogas, separações e problemas com a gravadora, O The House of Love acabou alcançando relativo sucesso e quase se tornando cult. Após um hiato iniciado em 1993, Chadwick reformou a  banda em 2003 e lançou Days Run Away (2005) e She Paints Words in Red (2013). DE volta do que se pode chamar de segundo hiato, o grupo anunciou o lançamento de A State of Grace, sétimo álbum de carreira e terceiro após a reforma. Coroando a volta, o single “Clouds”, com arranjo recheado de riffs de guitarra e vocais gospel, e que já vem acompanhado de videoclipe. Guy disse: “É o melhor conjunto de músicas que escrevi há anos e a pandemia ironicamente me deu tempo e espaço para desenvolver e organizar as canções”.

Clouds terá 12 faixas e será lançado 16 de setembro pelo selo Cherry Red Records.

Anteriores The Pumpkin Fairies e as origens do Slowdive
Próximo Shearwater toca na íntegra 'Lodger', de David Bowie; Assista

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *