‘Love to Give’ e o Halls entre a melancolia e a catarse


Sam Howard, Halls, resenha de Love to Give

Aos vinte e um anos o londrino Sam Howard lançou Ark, seu primeiro álbum sob a alcunha de Halls. Corria o ano de 2012 e a mistura de batidas eletrônicas, instrumentais de tons sombrios e vocais melancólicos para letras doloridas, passou desapercebido por muitos, mas obteve boa repercussão e angariou alguns elogios em sites especializados.

Em Love to Give, ele mantém o projeto na mesma linha melancólica de seu antecessor, com uma diminuída na parte eletrônica e maior presença de instrumentação orgânica, principalmente no uso de piano e guitarras. Com voz de impostação sempre grave e instrumentais que invariavelmente alicerçam climas de tensão, a música do Halls em muitos momentos levará a associações com os trabalhos de Thom Yorke, seja no Radiohead ou em outros projetos, embora sua sobriedade de tons monocórdicos remetam ao Red House Painters de Mark Kozelek.

Comparando com “Ark”, Howard define seu novo trabalho como mais sombrio, embora a ideia subjacente seja a de abrir-se mais, arriscar mais, já que as letras de Ark eram muito obscuras.

A dramaticidade emotiva preenche todos os espaços do disco ao longo de suas nove canções. A faixa título, “Love to Give”, tem um arranjo que se desenvolve a partir dos vocais à capela e no decurso vai adquirindo novas nuances, texturas discretas que vão se avolumando e criando um clima de dramaticidade épica. Esse tipo de dinâmica seguirá em diversas canções, vide “Sanctus” e “Harmony in Blues”, ou ainda a tempestade sonora de “Boy Eraser/Avalanche”. Poucas vezes Howard se distancia da antítese que recobre suas canções, e nesses momentos encontramos a ótima “Waves”, uma canção de atmosfera densa e contemplativa.

+++ CRÍTICA | Halls – Infinite Loss

Love to Give é um ótimo disco de um jovem e promissor compositor que vai expurgando suas dores através da música, construindo um universo equilibrado sob um fio tenso de melancolia e catarse, num movimento atraente e perigoso.


OUÇA “LOVE TO GIVE”:


O VIDEOCLIPE DE “FORELSKET”:

 

Anteriores Documentário sobre Brian Wilson já tem data de estreia
Próximo Duo sueco Pink Milk disponibiliza o denso ‘Ultraviolet’ : OUÇA

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *