ALITA: ANJO DE COMBATE (Alita: Battle Angel, 2019)


Cena do filme "Alita: Anjo de Combate" (1029)

“Aventura cyberpunk idealizada por James Cameron, “Alita: Anjo de Combate” honra o mangá no qual é inspirado”

Produzido por James Cameron – diretor dos filmes “Titanic”, “Avatar”, “Exterminador do Futuro”, “Aliens”, dentre outros sucessos -, que adquiriu há aproximadamente dezesseis anos atrás os direitos de adaptação deste que é considerado um dos mais importantes mangás japoneses.

O projeto “Alita” ficou engavetado todo esse tempo aguardando uma brecha na agenda do aclamado diretor, porém o mesmo acabou se envolvendo nas filmagens de “Avatar” 2, 3 e 4, além de ter assumido o comando de mais um filme da franquia “Exterminador do Futuro”, o que o fez entregar a direção para o interessante porém irregular Robert Rodriguez, mais conhecido por “Sin City” e “Um Drink no Inferno”.

Isso resultou em um filme de ação empolgante e muito bem realizado do ponto de vista técnico. Robert Rodriguez peca um pouco na direção de seus atores, não aproveitando de maneira mais efetiva o potencial dramático que cada um poderia render, mesmo com grande parte do elenco composta por atores excelentes como Christoph Waltz, Jennifer Connely e Mahershala Ali. Os atores citados não chegam a comprometer o filme, afinal são todos coadjuvantes e servem como escada para a protagonista brilhar.

Interpretada pela expressiva atriz Rosa Salazar através de uma tecnologia de captura de movimentos inacreditável, a ciborgue Alita é sem dúvida o grande trunfo do filme. A perfeição dos movimentos, que vão evoluindo junto com a personagem, seu olhar gigante, que remete diretamente a estética do mangá de Yukito Kishiro, e as interações físicas perfeitas da personagem com tudo que a cerca, principalmente com os demais atores, são de impressionar e fazem o filme valer a pena.

Encontrada aos pedaços no ano de 2.563 pelo médico/mecânico Dr. Dyson (Christoph Waltz), em uma espécie de lixão, Alita é reconstruída e recebe um novo corpo, porém ao “renascer” não consegue lembrar de nada sobre si mesma ou sobre seu passado, ao tempo em que tenta sobreviver na violenta cidade inferior na qual passa a habitar.

Adotada como filha pelo médico, ela começa a desconfiar das verdadeiras intenções do seu novo pai e por conta das suas extraordinárias habilidades instintivas para a luta, acaba chamando a atenção de caçadores de recompensa, ladrões de peças cibernéticas, e do líder onipresente da tão sonhada cidade suspensa – uma cidade que flutua inacessível por sobre os escombros da civilização pós-guerra.

Embora exista um viés filosófico e até de crítica social, o roteiro raso desperdiça esse potencial em prol de uma história que prioriza a ação e a diversão típica de um verdadeiro blockbuster. Todas as cenas de ação são muito bem elaboradas, algumas até grandiloquentes, e cumprem muito bem a função de entreter e empolgar. Por outro lado, essa opção por uma abordagem direcionada ao grande público, acaba colocando-o em uma posição que muitos já ocuparam: de ótimo filme, porém esquecível.

Outro ponto negativo do roteiro é a desnecessária inclusão de um par romântico para a protagonista, problema já recorrente em outros roteiros do James Cameron. Neste caso, o problema vai além do roteiro, é um problema envolvendo o ator escalado para o papel, Keean Johnson. Ele é um péssimo ator e não convence em nenhum momento como o objeto da paixão de Alita. Não existe a menor química entre os dois, então todas as atitudes extremas que a protagonista toma para defendê-lo, infelizmente acabam parecendo forçadas.

Por conta desses erros pontuais, o filme acaba significando menos do que poderia, mas ainda assim pode tranquilamente ser apreciado como uma excelente obra de ação futurista e megalomaníaca, com efeitos especiais impecáveis. E embora Robert Rodriguez tenha declarado que fez um filme como se fosse James Cameron, é nítida a contribuição do diretor ao imprimir um tom mais sério a narrativa e ao coroar a ação com uma pitada a mais de violência. Finalmente uma adaptação de quadrinho japonês que funciona nos cinemas!

:: NOTA: 7,8


NOTA DOS REDATORES:
Eduardo Salvalaio: –
Isaac Lima: –
Luciano Ferreira: –
MÉDIA: 7,8


:: LEIA MAIS DE EDUARDO JULIANO: A ESPOSA (The Wife, 2017)


Cartaz do filme "Alita: Anjo de Combate"

:: FICHA TÉCNICA:

Gênero: Ação, Aventura, Sci-Fi
Duração: 2h02min
Direção: Robert Rodriguez
Roteiro: James Cameron e Laeta Kalogridis, baseado na Grafic Novel “Gunnm”, de Yukito Kishiro
Elenco: Rosa Salazar, Christoph Waltz, Jennifer Connelly, Mahershala Ali, Jackie Earle Haley, Keean Johnson e outros
Data de lançamento: 14 de fevereiro de 2019 (Brasil)
Censura: 14 anos
IMDB: Alita: Anjo de Combate

 

 


:: Assista abaixo ao trailer legendado do filme:

Anteriores THE CLAYPOOL LENNON DELIRIUM - South of Reality (2019)
Próximo FAR CRY 5 (Far Cry 5, 2018)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado.