Bauhaus e o uso dos diálogos de uma animação canadense


Banda Bauhaus

O termo em inglês “party of the first part” é comumente usado na área judicial para designar uma das partes de um contrato (a primeira parte) que se compromete a algo com uma segunda parte. É também o título de uma canção do Bauhaus lançada no indispensável álbum Swing The Heartache: The BBC Sessions. Lançado em 1989 e disco duplo em vinil, ele compila cinco sessões da banda inglesa de Northampton gravadas ao vivo na BBC, entre dezembro de 1979 e fevereiro de 1983, para os programas de John Peel e David Jensen.

Algumas das versões gravadas nessas sessões ficaram tão boas que acabaram entrando na versão final do álbum de estúdio, caso de “Double Dare”; ou até mesmo se tornando single ou b-side de singles, caso de “Party of The First Part”, em destaque aqui, .

A faixa foi gravada nos estúdios Maida Vale durante a terceira sessão feita pela banda na BBC, em março de 1982, para o programa do saudoso DJ John Peel. Para esta sessão a banda gravou outras duas faixas: “Departure” e “The Three Shadows Part 2”, todas com Martin Colley como engenheiro de som e Dale Griffin como produtor.

O detalhe é que “Party of The First Part” ficou bastante conhecida por utilizar diálogos da animação “The Devil and Daniel Mouse”, produzida para um especial de Halloween na TV canadense. A animação é baseada na história “The Devil and Daniel Webster”, escrita por Stephen Vincent Benet, lançada em 1936. Criada pela produtora  Nelvana LTD, “The Devil and Daniel Mouse” foi o segundo de uma série de especiais produzidos para a TV entre 1977 e 1980.

Still da animação ‘The Devil and Daniel Mouse’

A história conta a trajetória de dois camundongos músicos: o cantor e violonista Daniel (Dan) e a vocalista Jan. Após serem demitidos do local onde costumavam se apresentar e passando por dificuldades, Dan resolve vender seu violão. Enquanto aguarda Dan na floresta, Jan lamenta sobra sua sorte, externando seu desejo de tornar-se famosa, uma estrela do Rock, custe o que custar. Nesse momento, o demônio (voz do ator Chris Wiggins) surge disfarçado de empresário musical e lhe oferece um contrato, que deve ser assinado com sangue, para que seu desejo se torne realidade. Consigo o demônio traz Weez (voz de Martin Lavut), que será o responsável por cuidar da carreira e ficar de olho em Jan.

Todo o diálogo tem um ritmo bastante musical mesmo, com Chris Wiggins impostando uma voz cavernosa ao seu personagem, e ele é a base da canção do Bauhaus. A banda adiciona apenas um instrumental incidental ao estilo Jazz/Cabaré, com direito a piano, e até se assemelha à canção que toca de fundo durante a cena da animação canadense. A letra traz apenas uma frase que parece ser proferida por Peter Murphy: “The interview circus is so absurd and so silly”.

O curta tem aproximadamente 25 minutos e sua trilha sonora é assinada pelo músico John Sebastian, que faz a voz de Daniel nos momentos musicais.

+++ Leia a coluna Esse Eu Tive em Vinil sobre ‘Swing The Heartache’, do Bauhaus

O título da canção do Bauhaus também é retirado de um dos trechos da animação, quando o demônio retorna para buscar a alma de Jan, que assinou o contrato sem ler, onde dizia que deveria entregar a sua alma à meia-noite: “The party of the first part, that’s you, agrees to render up her soul now and forever more to the party of the second part, that’s me. Shall we go?”.

“Party of The First Part” viria a entrar também como faixa bônus em versões posteriores do álbum The Sky’s Gone Out, de 1982.

Ficou curioso? Assista a animação e ouça a canção do Bauhaus abaixo.

Anteriores Gabriel Ventura lança 'Tarde', primeiro álbum solo ; Ouça
Próximo Selo Maxilar Music lança tributo nacional ao Kraftwerk

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *