THE DURUTTI COLUMN – A Paean to Wilson (2010)


“Homenagem melancólica, mas cheia de vida, a Tony Wilson”

‘A Paean to Wilson’ (Uma Homenagem a Wilson) é, como o próprio título já diz, um álbum tributo a Tony Wilson (falecido em 2007), fundador da Factory Records, selo de Manchester que tinha em seu cast um leque de bandas emblemáticas na década de 80: Joy Division, New Order, A Certain Ratio e Happy Mondays, para citar algumas. O The Durutti Column também fazia parte desse cast, Wilson foi um de seus membros e fundador, ao lado do guitarrista/pianista Vini Reilly, o homem que há mais de três décadas leva o nome da banda adiante. Nas notas do álbum, Vini diz: “The Durutti Column was Tony Wilson’s baby” (O The Durutti Collumn foi o bebê de Tony Wilson).

Quem viu ‘24 Hours Party People’ deve lembrar-se de uma cena em que um rapaz magro, empunhando sua guitarra toca para uma plateia inexistente no clube de Wilson, era Vini Reilly, que pergunta a Wilson: Como foi? – Foi ótimo. Maravilhoso. Muito bom, foi… eu adorei. Diz Wilson como incentivo. A cena pode não ter acontecido da maneira narrada no filme, mas simboliza justamente o apoio que Wilson sempre deu a Vini. Mais que tudo, segundo palavras de Vini, Wilson era seu melhor amigo.

Profundamente abalado com a doença e posterior morte do amigo, Vini compôs esse tributo a Wilson na época que ele ainda estava hospitalizado: “A Paean to Wilson é parte de um trabalho que comecei a fazer quando meu amigo, Tony Wilson, morreu. Um pouco antes de ele morrer, enviei a parte instrumental e ele adorou, então decidi tocar o projeto”.

O álbum é essencialmente instrumental e divide-se em doze atos, cuja ideia é formar uma peça única.

Além disso, traz um disco bônus com cinco faixas. Tem a participação dos músicos que tem colaborado recentemente com o Durutti Column: Bruce Mitchell, Keir Stewart , Poppy Morgan, John Metcalfe, Tim Kellet, Ruby Morgan, Kate Williamson. Abre com o sampler de uma frase retirada de uma entrevista de Wilson com o produtor Martin Hannet , onde este explica todo o processo de produção; ao final Wilson fala pra Hannet: “Você não é um membro da banda, você é só um técnico”, e termina com a longa ‘How Unbelievable’, adornada pelos encantadores dedilhados de Vini e que termina com quatro minutos de silêncio.

Entre o ato inicial e o final, destacam-se o canto etéreo e dedilhado angustiado em ‘Chant’, as batidas tribais e guitarras furiosas da instrumental ‘Quatro’, e a arrebatadoramente triste ‘Along Came Poppy’, com viola, piano e sax dilacerantes; ou ainda, ‘Catos Revisited’, repleta de influencia flamenca ‘Stuki’ e ‘Duet with Piano’, que instrumentalmente remete aos primeiros trabalhos do Durutti Column. O disco bônus é composto de seis canções como nomes masculinos: ‘Bruce’, ‘Keir’, ‘Neil’, ‘Mike’, ‘Alan’ e ‘Anthony’, foi lançado apenas em formato digital em 2005.

Ao contrário do que se possa pensar, ‘A Paean to Wilson’ é um disco cheio de vida, apesar de melancólico, pode figurar tranquilamente ao lado dos melhores álbuns da extensa e pouco conhecida discografia do Durutti Column. É uma homenagem na forma de doze belas canções, o que mais se poderia esperar de um artista como Vini Reilly?

NOTA: 9,0

:: FAIXAS:
01. Or Are You Just A Technician
02. Chant
03. Quatro
04. Requiem
05. Stuki
06. Along Came Poppy
07. Brother
08. Duet With Piano
09. Darkness Here
10. Catos Revisited
11. The Truth
12. How Unbelievable

:: Ouça abaixo ‘How Unbelieveble’:

Anteriores MASSIVE ATTACK – Heligoland (2010)
Próximo BAUHAUS – Mask (1981)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado.