THE LAST OF US | 2013


The Last of Us, Imagem do jogo

“Cenário devastado, personagens marcantes, ambientes repletos de exploração e muitos perigos a temer, assim é The Last Of Us”

The Last Of Us passa duas sensações. Para o jogador é uma experiência prazerosa, inesquecível, de concepção épica e repleta de descobertas. Como produto artístico que não busca apenas estética e faz refletir, funciona como um alerta ou um fiel retrato de que a todo instante estamos diante de um mundo que sempre está prestes a explodir, que nos faz correr atrás da sobrevivência e que muitas vezes nos leva a encontrar esperança ao perder amigos, parentes e sonhos de vida.

Os dois carismáticos personagens, Joel e Ellie, precisam seguir adiante num ambiente pós-apocalíptico com perigos a cada esquina. Joel é o homem designado para escoltar a garota Ellie que tem em seu sangue uma possível solução para um Estados Unidos devastado por uma mutação mortal de um fungo (Cordyceps).

A primeira coisa valiosa em The Last Of Us, muito importante hoje em dia sobretudo com o preço de alguns jogos: um extenso mundo para percorrer e um fator replay sempre fresco. Mesmo terminando a história, há vários níveis de dificuldades para selecionar e, além disso, você nunca vasculhou todos os ambientes por completo e pode ter certeza de que algo ficou para trás.

Com uma mecânica que privilegia a exploração dos cenários em busca de materiais para criar suas armas/estratégias e até mesmo medicamentos, é essencial não ser afobado e controlar os recursos encontrados. Da mesma forma, agir na furtividade é muito mais garantido do que ser violento, embora o jogo faça o equilíbrio necessário de ambas as partes. O cuidado com a sonorização do jogo também precisa ser ressaltado, pois escutar os perigos que nos cerca é fundamental para avançar pelos inimigos em muitos trechos do jogo onde é imprescindível fazer uso do eficiente ‘modo de escuta’.

A parte gráfica, que geralmente motiva a maioria dos jogadores, é excepcional. Contemple um elaborado mundo envolto por um cenário distópico/pós-apocalíptico cheio de detalhes, quer seja em lugares abertos ou mesmo em pequenos ambientes.

Apesar da devastação encontrada pelos personagens, há espaço para a poesia que ainda sobra mesmo dentro de um panorama caótico. As partes do jogo onde Joel e Ellie conseguem ‘respirar’ um pouco e conversar entre eles rendem os melhores e mais sensíveis momentos dos videogames até hoje (como a cena da girafa). Também precisam ser mencionados personagens que aparecem ao longo da jornada, alguns inclusive cujos destinos marcarão os jogadores por muito tempo. Não ache ruim se você pausar o jogo, largar o joystick e tomar um pouco de ar, será preciso. É gratificante ver o crescimento da relação Joel-Ellie e como os personagens secundários recebem seus devidos destaques dentro da narrativa.

Sete anos depois e mesmo com a segunda parte a ser lançada, o jogo até hoje é discutido nas redes sociais, muito jogado online e foi um dos mais vendidos na história do Playstation. Virou até tema de monografia em universidades da Alemanha e repercute inclusive por algumas cenas marcantes e um final que geralmente não agrada a todos. O jogo também recebeu muitos pacotes adicionais (entre avatares e wallpapers) e também ganhou algumas DLC’s dando destaque a Left Behind que conta uma parte adicional da história de The Last Of Us além de revelar mais detalhes sobre a personagem Ellie, contudo, essa DLC deve ser jogada apenas por aqueles que terminaram o jogo.

The Last Of Us não se esqueceu de oferecer tudo ao jogador: gráficos, narrativa, entretenimento, medo, emoção, reflexão e sobretudo, perpetua um estado de arte para ser copiado nas próximas gerações de videogames, onde a potência/hardware dos consoles vem cada vez mais aprimorada.

NOTA: 9.5


LEIA TAMBÉM:

RESENHA: God of War | 2018
RESENHA: Tomb Raider | 2013


:: FICHA TÉCNICA:
Desenvolvedor: Naughty Dog
Publicado por: Sony Interactive Entertainment
Gêneros: Ação, sobrevivência, narrativa
Tamanho no HD: 30Gb
Duração: entre 40 a 80 horas (se também fizer as missões online)
Classificação: 16 anos (violência extrema, linguagem imprópria, drogas lícitas)
Preço: R$119 (a versão remasterizada no PS4 já foi gratuita para assinantes da PSN Plus)
Plataformas: PS3 e PS4 (versão remasterizada)
Lançamento: 14 de Junho de 2013
Mais Informações: The Last Of Us

 


:: Assista ao trailer do jogo:

Anteriores THE 1975 | Notes On a Conditional Form
Próximo ECOS NO ESCURO | S/T

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *