SHOEGAZER ALIVE #4 | Pia Fraus, SPC ECO, BlackieBlueBird, hhhhhh & CIEL


Ciel, foto da banda

“Dreampop, o gênero à beira da perfeição melódica”

A criação do “pop dos sonhos” é geralmente atribuída aos escoceses do Cocteau Twins, banda caracterizada pelo belo vocal de Liz Frazer e rebuscadas texturas sonoras. Isso aconteceu nos anos 80, e de lá para cá o gênero cresceu e se ramificou em várias direções, desde a mais elétrica, próxima do Shoegaze, até a Eletrônica, também conhecida como Dreamwave. Aqui estão cinco exemplos destas tendências, e são alguns dos melhores trabalhos de 2020.

:: LEIA TAMBÉM: SHOEGAZER ALIVE #1 | SHOEGAZER ALIVE #2 | SHOEGAZER ALIVE #3


PIA FRAUS | Empty Parks

O Dreampop tem dois direcionamentos básicos: ou a banda opta por músicas suaves e com leves efeitos de guitarra na linha do Shoegaze, ou privilegia belas melodias eletrônicas, dispensando guitarras e baixos. Os estonianos do Pia Fraus (banda formada por Eve Komp, Kärt Ojavee, Rein Fuks, Reijo Tagapere e Joosep Volk) caminham com maestria entre as duas linhas, tanto assim que são adorados tanto por shoegazers como por dreampoppers. Empty Parks, seu último trabalho, gerou alguns singles que comportaram diversos remixes, alguns eletrônicos, outros levando uma dose de experimentalismo às músicas com mais guitarras.


SPC ECO | 4月EP April EP

Banda formada por Dean Garcia e Rose Berlin e que faz um Dreampop eletrônico com toques sombrios e experimentais. Dean Garcia é velho conhecido dos shoegazers, porque comandou uma das bandas protagonistas da cena original, o Curve – na época ao lado da vocalista Tony Haliday. No SPC ECO recrutou uma parceira com timbre muito semelhante ao da anterior, suave e adocicado e, neste ano, está cumprindo um ritual de lançar um EP no primeiro dia de cada mês. Este aqui é o último, de abril.


BLACKIEBLUEBIRD | Goodbye In July

Dupla dinamarquesa que vem ganhando espaço no cenário Dreampop com suas melodias suaves, algumas vezes em formato acústico, e letras melancólicas, sempre emolduradas pelo belo vocal de Heidi Lindahl – o Dreampop é um gênero em que os vocais femininos são mais comuns, embora um grupo ou outro utilize também vocais masculinos, ambos, ou masculino simulando feminino (caso do Cigarettes After Sex). Facebook


HHHHHH | Tropical Depression

Um dos raros casos de Dreampop com vocal masculino, mas que, diferentemente da grande maioria das bandas do estilo, traz um tom otimista (apesar do título do disco) que o aproxima de gêneros mais upbeat como o Indiepop. O californiano Hector Guerra é o homem por trás do projeto hhhhhh, e em algumas canções deste belo disco seu timbre se aproxima muito daquele que estamos acostumados a ouvir na voz de Neil Halstead, do Slowdive.


CIEL | Movement

Da Holanda vem o CIEL (FOTO DO DESTAQUE), mais uma banda com delicados vocais femininos (aqui, por conta de Michelle Hindriks), melodias vibrantes que remetem ao Indiepop, mas que não abandonam a melancolia característica do gênero. Movement é o segundo EP da banda, lançado em 10 de abril, que sucede ao trabalho inicial, também um EP, chamado Anxiety, de 2017. Espera-se agora um disco cheio.


:: Ouça a Playlist:

Anteriores CONJURA | Duo estreia o single "Vexação" :: OUÇA
Próximo CLUB AC30 | Never Lose That Feeling

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *