‘Vita & Virginia’ mostra romance complexo, repleto de nuances, com muita poesia e drama



Vita & Virgínia é um drama biográfico realizado e co-escrito por Chanya Button e Gemma Arterton, que além de atuar, também é uma das produtoras. Estrelado por Elizabeth Debicki, Isabella Rossellini, Rupert Penry-James e Peter Ferdinando.

O cenário é Londres, 1922, e o roteiro foi desenvolvido a partir das cartas trocadas entre as escritoras Vita Sackville-West e Virginia Woolf

Gemma Arterton é Vita: poetisa, romancista e paisagista, de origem aristocrata. Célebre não apenas pela sua arte, mas também pelo seu temperamento exuberante, o seu casamento inabalável com o diplomata Harold Nicolson e as suas apaixonadas relações não monogâmicas. O casal se recusa a ser podado por um casamento tradicional, desafiando a sociedade da época em razão de viver um relacionamento aberto para desespero da matriarca interpretada por Isabella Rossellini.

Debicki protagoniza Virginia Woolf, brilhante e perturbada. A atriz consegue demonstrar pelo olhar a dor de suas crises depressivas, o tratamento médico desumano de que foi alvo e o apoio que recebia do marido, da irmã, e de Vita que sempre admirou a sua obra. Aliás, quando Vita conheceu Virginia presencialmente, se sentiu imediatamente atraída pelo gênio excêntrico da romancista, e a partir de então, sempre a apoiou.

Vita defende e vive a não monogamia. Contudo, Woolf não parece ter lidado bem com esse fato. O filme revela por meio de cenas surreais o sofrimento da escritora com a inconstância e ausências de Vita, que não foi uma amante exclusiva.

Nenhuma das duas possuía um casamento convencional e faziam parte do grupo de artistas boêmios mal vistos pela sociedade da época. Ambas foram fontes de imensa inspiração para a outra, de tal forma que, como é retratado no filme, Vita inspirou Orlando –uma biografia, a mais revolucionária das obras de Woolf. Críticos literários afirmam que o período em que conviveram foi o melhor e mais produtivo momento da carreira literária das duas.

Button concebe a abertura do filme como uma mostra de toda a sua abordagem. Toda direção foca nos detalhes de época ao tempo que usa o desfoco como opção estética. O figurino e caracterização levam-nos diretamente para os anos 20, em Londres, enquanto a trilha sonora inclui música moderna que contrasta com a época, mas que entra em sintonia com o rumo emocional das personagens.

Vita & Virginia é um filme com ritmo próprio que se debruça sobre os manuscritos resultantes da grande inspiração de Virginia Woolf: a escritora esquecida popular Vita Sackville-West. Mais que tudo, uma tentativa de revelar a vida íntima de um gênio, como é considerada Woolf até hoje, além de trazer mais conhecimento sobre os bastidores de clássicos da literatura inglesa.

GALERIA DE FOTOS:

COLUNAS ANTERIORES:

‘Uma Beleza Fantástica’ fala de amor e amizade de forma metafórica
‘Curiosa’ mostra um triângulo amoroso em pleno século XIX com naturalidade, leveza e erotismo


Vita & Virginia, poster

FICHA TÉCNICA:

Título Original / Ano: Vita & Virginia (2018)
Gênero: Biografia, Drama, Romance
País: Reino Unido / Irlanda
Duração: 1h50min
Direção: Chanya Button
Roteiro: Eileen Atkins e Chanya Button
Elenco:  Gemma Arterton, Elizabeth Debicki, Isabella Rossellini, Rupert Penry-Jones, Peter Ferdinando, Emerald Fennell e outros.
Data de Lançamento: 23 de agosto de 2019
Censura: ??
Avaliações: IMDB | Rotten Tomatoes

 


ASSISTA AO TRAILER:

 

Anteriores SHOEGAZER ALIVE #20 segue viagem pelo 'planeta Shoegaze'
Próximo A eletrônica equilibrada e de boas referências do Rival Consoles

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *