NASCE UMA ESTRELA (A Star is Born, 2018)


“Agridoce, cru e sensível, filme atesta a reinvenção da Lady Gaga como atriz dramática e de Bradley Cooper como músico e diretor, entregando talvez um dos melhores filmes do ano”

Logo na primeira cena, quando os primeiros acordes de uma guitarra furiosa ecoam alto na sala de cinema, o espectador é transportado imediatamente para o palco de um show gigantesco do cantor consagrado de country rock, Jackson Maine, interpretado por Bradley Cooper, na melhor atuação de sua carreira. Com a câmera circulando pelo palco inteiro em movimentos sinuosos, remetendo a urgência e intensidade do U2 tocando Helter Skelter na cena de abertura inesquecível do documentário “Rattle and Hum (1988)”, percebemos que estamos diante de algo muito especial, tanto do ponto de vista técnico e emocional também.

Essa sensação permeia o filme inteiro. Da primeira a última cena, percebemos o cuidado e dedicação extrema de todos os envolvidos na produção, principalmente de Bradley Cooper, que tomou aulas de guitarra por um ano e se tornou um músico legítimo para esse papel, cantando ao vivo em todas as cenas e ainda compondo algumas das canções. Seu roteiro e direção também são impecáveis, mas nada teria dado certo se a cantora pop Lady Gaga não fizesse um esforço total de reconstrução de seu próprio alter ego para interpretar Ally, uma insegura cantora e compositora talentosa perdida entre milhares de outros talentos pelo mundo, desperdiçando seu potencial artístico trabalhando como garçonete.

A desconstrução da Lady Gaga é tamanha, a ponto de não a reconhecermos ali. Ela já havia feito algumas pontas em outros filmes e séries, porém é aqui que ela realmente entrega uma atuação digna de Oscar ao interpretar com muita verdade e imersão uma personagem com um arco dramático extremamente difícil e de nuances diversas.

Na história, um astro do rock bêbado e viciado se encanta pela voz de uma anônima num bar e decide “apadrinha-la”, levando-a para dividir seus palcos, sua cama e sua vida. Encantado pela verdade nas composições da garota, ele a expõe ao grande público e ao mercado fonográfico, que acaba impondo mudanças temáticas e estéticas para torná-la mais comercial, mesmo perdendo claramente a qualidade de suas composições e a sua identidade.

A fama como fator prejudicial à criatividade artística e o descontentamento evidente de Jackson com os caminhos percorridos pela sua protegida são de uma angústia palpável.

Somados a isso, o filme ainda apresenta um casal de protagonistas com muita química em cena. Ambos são muito fortes do ponto se vista interpretativo e o carisma dos dois eleva a imersão do público a um nível poucas vezes visto no cinema. Sentimos cada respiração, cada silêncio, cada olhar que, reforçados pela direção segura e surpreendentemente certeira do Bradley Cooper, passam toda a emoção que cada cena precisa.

Mesmo contando a história de dois músicos, “Nasce uma Estrela” não pode ser classificado como um filme musical. Embora a trilha sonora e edição de som sejam os pontos altos do filme, e apesar das várias cenas de shows, nenhuma delas é mostrada do ponto de vista da platéia, a perspectiva é sempre de cima do palco. A maioria das cenas nas quais eles cantam, nada tem a ver com o que está se passando na trama do filme. A história está acima das canções. Essa escolha estabelece um distanciamento, que muitos não percebem, entre a vida pessoal e a vida pública dos artistas.

É um história trágica sobre amor, vícios e o alto preço que a fama cobra a quem bebe da sua fonte. Poderia ser irônico encontrar esse tipo de reflexão em um filme protagonizado por Lady Gaga se ela não tivesse apresentado um trabalho tão belo e irretocável.

Mesmo sendo a quarta vez que essa história é filmada – a última versão foi com a Barbara Streisand em 1976, e está bem abaixo desta – Bradley Cooper consegue injetar frescor, vitalidade, verdade e muita humanidade em seu personagem e em sua direção, que apesar de apresentar uma ligeira queda de ritmo durante o ato final, também é irretocável.

NOTA: 10

:::

:: FICHA TÉCNICA:

Gênero: Drama, Romance
Duração: 2h16min
Direção: Bradley Cooper
Roteiro: Eric Roth, Bradley Cooper, Will Fetters
Elenco: Lady Gaga, Bradley Cooper, Sam Elliott, Andrew Dice Clay e outros.
Lançamento: 11 de outubro de 2018 (Brasil)
Censura: 16 anos
IMDB:
Nasce uma Estrela

 

 

:::

:: Assista abaixo ao trailer:

Previous ECHO AND THE BUNNYMEN - The Stars, The Oceans & The Moon (2018)
Next SMASHING PUMPKINS :: Assista o vídeo de "Silvery Sometimes (Ghosts)"

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *