Mike Watt, Flea, Vedder, J Mascis, Evan Dando, Lanegan num mesmo álbum?


Foto de Mike Watt e Eddie Vedder

A lista de nomes da cena alternativa americana presentes em Ball-Hog or Tugboat?, primeiro álbum solo do baixista Mike Watt (Minutemen, Dos e fIREHOSE) é enorme e, além dos músicos citados no título, traz nomes como Kathleen Hanna, Dave Grohl e Chris Novoselic, três quartos do Sonic Youth (Thurston Moore, Steve Shelley e Lee Ranaldo), Mario Caldato Jr, Neils Cline (Wilco), Pat Smear, os irmãos Cris e Curt Kirkwood (Meat Puppets) e Frank Black, só pra citar mais alguns da lista de quarenta e oito nomes.

Capa de Ball-Hog or Tugboat? , de Mike Watt

Ball-Hog or Tugboat? Foi lançado em 1995, com lançamento nacional pela Sony Music, e traz além de canções compostas por Watt, algumas versões como de “Tuff Gnarl”, do Sonic Youth, lançada originalmente no álbum ‘Sister’; “Maggot Brain”, do Funkadelic, lançada originalmente no álbum de mesmo nome, numa versão que conta com os riffs e solos alucinados de J Mascis (Dinosaur Jr); e uma versão incrível para “Big Train”, canção da banda Blackbird (dos irmãos  Chip e Tony Kinman) lançada no single de mesmo nome, na voz de Mark Lanegan.

O álbum reserva boas composições de Watt na voz de Eddie Vedder, como “Against the 70’s”, “Piss Bottle Man” (com Evan Dando nos vocais) e “Max and Wells”, na voz de Lanegan. O baixista canta em apenas duas das dezessete faixas do álbum, mas participa de todas com suas linhas de baixo, que é o elemento que, no fim das contas, une todas as faixas. E embora o elevado número de participações possa sugerir algo diferente, o álbum consegue manter certa coesão, abrindo espaços elementos de Jazz (Sidemouse Advice) e Hip-Hop (E-Ticket Ride), mas sendo o Rock a tônica.

Falando do projeto em uma entrevista bastante esclarecedora ao site Scream & Yell, Watt comentou sobre o projeto:

“Quando eu penso nesse disco, realmente foi como uma mudança de ares na minha vida. Antes desse álbum, basicamente eu fui membro dos Minutemen e do fIREHOSE. Então, fui fazer esse disco — que é bem curioso que seja chamado de “disco solo”, já que tem 48 pessoas tocando nele… Tem 17 músicas e 17 bandas diferentes ali. Com o D. Boon, eu levava todas as minhas músicas pra ele. E com o Edward eu fazia a mesma coisa. Eu me lembro de mostrar “Piss-Bottle Man” para o Edward e ele disse: “Acho que essa música não é para a nossa banda”. Foi aí que eu comecei a pensar no “Ball-Hog or Tugboat?” e na ideia de um baixista ser o cara que conhece todas as músicas e aí ter outras pessoas participando”.

+++ LEIA TAMBÉM SOBRE COMO FOI COMPOSTA A CANÇÃO “HOW SOON IS NOW”, DOS SMITHS

Além da presença em suas bandas, Watt também tocou com os Stooges, o que o trouxe ao Brasil em duas ocasiões. Seu último trabalho foi a participação no álbum Devil in Berlin, da banda The Cutthroat Brothers, lançado em 2021. E seu último trabalho de inéditas em carreira solo foi o álbum ‘Hyphenated-man’, de 2010.


Anteriores Em quinto álbum, Big Thief se credencia a melhor banda de Indie Rock da atualidade
Próximo 'Licorice Pizza' é a bobagem estilosa de Paul T. Anderson

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *