JACKIE | S/T (2016)


Jackie, imagem do filme

“Jackie é um passeio superficial na mente de uma das mais importantes primeiras-damas da América”

Jackie é um drama biográfico chileno-franco-estadunidense dirigido por Pablo Larraín, escrito por Noah Oppenheim e estrelado por Natalie Portman (como a personagem-título), Peter Sarsgaard, Greta Gerwing e Billy Crudup.

Natalie Portman recebeu uma justíssima indicação ao Oscar de Melhor Atriz em 2017 por dar corpo e alma a Jackie Kennedy, que tinha apenas 34 anos quando seu marido foi eleito presidente dos Estados Unidos. Elegante e irreparável, tornou-se instantaneamente um ícone, uma das mulheres mais famosas do mundo, com o seu gosto pela moda, decoração e artes amplamente admirado. Portman faz um trabalho incrível, em alguns momentos a atriz se transforma sob nossos olhos na própria Jackie com sotaque e cadência de voz muito carregados, dominando o seu espaço e ditando o tom da protagonista.

Jackie, imagem do filme

Billy Crudup interpreta o repórter Theodore H. White, que a entrevista para a revista “Life” uma semana depois do funeral. Trata-se de um personagem que nunca existiu na vida real. Em verdade, ele representa vários jornalistas e historiadores com quem Jackie interagiu ao longo dos anos.  Greta Gerwig faz pequenas aparições como a assessora íntima da primeira dama.

Quem pretende assistir ao filme Jackie esperando ver a biografia da mais famosa primeira-dama norte-americana vai se desapontar. A ideia do filme é retratar os dias que se seguiram à morte do então presidente dos Estados Unidos em 1963, seu marido. Aliás, o título do filme poderia ser: “A morte e o funeral de John Kennedy”, pois a trama enfoca neste fato e não aprofunda nem a vida e nem os sentimentos da viúva.

O roteiro de Noah Oppeheim retrata Jackie como uma mulher cujo controle de sua identidade nunca lhe escapa das mãos, alternando entre máscaras diferentes para suas aparições para a imprensa, público ou funcionários. Jackie só se permite se despir  dessas máscaras quando está verdadeiramente sozinha, e são estes raros momentos os mais marcantes da obra.

Jackie é um trabalho pouco sensível e muito raso à voz especulativa que os pensamentos mais profundos de sua protagonista possui sobre casamento, fé e autoimagem. Pensamentos estes que dariam profundas reflexões, contudo o objetivo do filme vem a ser o confronto entre o público e privado dentro dessa personagem tão importante.

A direção de Pablo Larraín constrói planos herméticos sempre simétricos em que Jackie é a figura central da cena. A simetria impecável combina com a frieza dos diálogos.

Jackie, imagem do filme

Pode ser que nem tudo que Jackie mostra seja verdade, como o próprio repórter White pergunta durante uma entrevista: “Quando algo está escrito, isso faz com que seja verdade?”. Talvez por isso Jackie se apresente como um passeio superficial na mente de uma das mais importantes primeiras-damas da América. Apesar disso, o filme vale pela excelente interpretação de Natalie Portman, pela direção de Larraín muito bem executada do começo ao fim e pelo figurino deslumbrante.


LEIA TAMBÉM:

VI E RECOMENDO: FRIDA | S/T (2002)
VI E RECOMENDO: O ESCÂNDALO | Bombshell (2019)


Jackie, poster do filme com Natalie Porter

:: FICHA TÉCNICA:

Gênero: Biografia, Drama, História
País: EUA, França, Chile
Duração: 1h40min
Direção: Pablo Larraín
Roteiro: Noah Oppenheim
Elenco:  Natalie Portman, Peter Sarsgaard, Greta Gerwig, Billy Crudup, John Hurt, Caspar Phillipson e outros.
Data de Lançamento: 02 de fevereiro de 2017 (Brasil)
Censura: 14 anos
Avaliações: IMDB | Rotten Tomatoes

 

 


:: Assista ao trailer do filme:


Anteriores SHOEGAZER ALIVE #13 | Day Aches, Hundredth, Nothing, Slow Crush & Lazy Legs
Próximo THURSTON MOORE | Tudo sobre 'By the Fire' e novo single :: OUÇA

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *