PET SHOP BOYS – Hotspot (2020)



“Hotspot não é um seleto disco do Pet Shop Boys, porém tem faixas que asseguram a genialidade da dupla”.

Pode-se dizer que a dupla Pet Shop Boys chegou em sua zona de conforto? Mesmo com todas as atribulações que um grupo passa, talvez seria a hora de colher os louros? Um dos nomes mais representativos da música eletrônica. Mais de trinta anos em atividade. Criadores de hits atemporais. Influenciadores em potencial da nova geração de músicos (não apenas da cena eletrônica). A paixão pela música não deixou os ingleses parados, e lançar seus trabalhos ainda continua uma prioridade. A idade avançada não é empecilho, Neil Tennant está com 65 anos e Christopher Lowe tem 60. Atualmente o duo possui seu próprio estúdio (a gravadora x2) e chega agora ao décimo quarto álbum.

O duo segue em frente com fôlego, as nuances vocais típicas continuam incorporando a característica maior da dupla. Sem desmerecer o talento e a história dos ingleses, hoje em dia os dois músicos não contam mais com as rádios para criarem seus hits. Para um grupo que adquiriu muito de sua fama nos 80’s, pode existir um terreno perigoso nessa era musical onde o esquecimento é fato tão comum. É preciso agradar os fãs de longa data como também se sintonizar com os novos tempos e recursos adicionais em constantes processos da música eletrônica.

A partir de 2000, a dupla começou o engajamento em outros gêneros musicais. Investir em trilhas sonoras e parcerias com orquestras começou a fazer parte dos planos do duo, e no ano de 2005 lançaram Tennant/Lowe: Battleship Potemkin junto com a Filarmônica de Dresden (para o filme O Encouraçado Potenkin de 1925). Em 2011, o Pet Shop Boys se engajou em canções exclusivamente criadas para balés com o álbum The Most Incredible Thing. Nem mesmo os esportes ficaram de fora e criaram um single exclusivamente para fazer parte dos Jogos Olímpicos de Verão de 2012, em Londres.

Todo esse contexto é para situar a estratégia de Tennant e Lowe para atravessar duas décadas onde nem mesmo grandes e antigos nomes da música sobreviveram. A versatilidade e a maturidade do duo passavam dos hits grudentos dignos de se cantarolar e chegavam a trabalhos mais amplos e buscando a união do eletrônico com o acústico (ainda aconteceram colaborações com a BBC Concert Orchestra).

Hotspot é, praticamente, um disco que reúne o Pet Shop Boys do final da década de 80 até os dias atuais.

A poderosa abertura com “Will-o-the-wisp” traz o velho e notório PSB, inclusive do começo de carreira. Eletrônica cheia de detalhes, europop bem climático, refrão ganchudo. Faixa que com certeza frequentaria a parada de sucessos de uma rádio FM. Com sua leveza melancólica, “You Are The One” segue pela eletrônica suave com um piano bem tímido no final.

A bela guitarra que surge no começo de “Burning The Heather”, cortesia de Bernard Butler (ex-Suede), revela a dupla trafegando por outros territórios, dando espaço para elementos tradicionais do Rock. Outra participação importante é a do trio londrino Years And Years na faixa “Dreamland” onde um Electro-Pop dançante e alegre dá as caras.

Existem alguns deslizes. Sim, apesar de poucos. “Monkey Business” tem uma pegada bem humorada e descontraída, tudo caindo para uma guinada unk, mas os vocais ficam monótonos, a melodia não engrena e não faz jus a inspiração da dupla. A desnecessária “Wedding In Berlim” destoa ao fundir eletrônica insossa com música de casamento e não fechar o álbum tão bem como começou.

Hotspot não é uma representação máxima do que o Pet Shop Boys construiu em sua longa história. Esse é um disco com suas qualidades e algumas canções que acabam não traduzindo toda a inspiração da dupla. Em contrapartida, também não é corrosivo, não desanima e até indica novos caminhos por quais os ingleses podem experimentar ou seguir (a exemplo da faixa onde Butler participa).

NOTA: 6,7


NOTA DOS REDATORES:
Eduardo Juliano:
Isaac Lima:
Luciano Ferreira:

MÉDIA: 6,7


:: LEIA TAMBÉM:
THE CHEMICAL BROTHERS – No Geography (2019)
OMD – THE PUNISHMENT OF LUXURY (2017)


::FAIXAS:
01. Will-o-the-wisp
02. You Are The One
03. Happy People
04. Dreamland (feat. Years & Years)
05. Hoping For A Miracle
06. I Don’t Wanna
07. Monkey Business
08. Only The Dark
09. Burning The Heather
10. Wedding In Berlim

 


:: Mais Informações: Facebook/Site oficial


:: Ouça o álbum:


:: Assista ao lyric video de “Dreamland”:

Anteriores Charge do Dia
Próximo Quando Robert Smith se tornou um Banshee

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *