MAPS – Colours. Reflect. Time. Loss (2019)



“Colours. Reflect. Time. Loss é mais um acervo de esculturas musicais do Maps.”

Sem muito estardalhaço no cenário musical, sem muito burburinho nas redes sociais, o inglês James Chapman, mentor do Maps, segue trilhando seu caminho desde 2006. Para alguns artistas que já trabalharam com ele, o músico ficou conhecido como um escultor sonoro. Não é por menos. Aprendeu percussão e também violino desde novo (não é à toa o instrumento surgir tão magnífico em ‘She Sang To Me’ e ‘Sophia’). Trabalhou com nomes de peso como M83, Andy Stott e The Field. Frequentemente é convocado para remixar vários trabalhos. Com esse currículo de peso, o músico constrói sua sonoridade baseada numa estrutura indie-rock envolta com toques inteligentes e corretos de eletrônica. Sintetizadores assumem uma postura orquestrada para criar contornos épicos e etéreos, por vezes num golpe único mesmo que em faixas diferentes (nem percebemos a sutil mudança entre as faixas ‘Both Sides’, ‘Howl Around’ e ‘Wildfire’). James ainda se dá ao direito de voltar para os 60’s e criar algo que até Beatles teria orgulho (‘The Plans We Made’). Mesmo que muita coisa remeta ao Ride fase ‘Going Blank Again’ (1992) ou a Engineers no clássico début homônimo de 2005, sabemos que isso não importa num mundo onde reciclagem é quase inevitável e, sendo bem utilizada, não ofende.

NOTA: 7,5


NOTA DOS REDATORES:
Eduardo Juliano:
Isaac Lima:
Luciano Ferreira:

MÉDIA: 7,5


::LEIA TAMBÉM:
DANIEL LAND – THE DREAM OF THE RED SAILS (2019)
RIDE – WEATHER DIARIES (2017)


::FAIXAS:
01. Surveil
02. Both Sides
03. Howl Around
04. Wildfire
05. Just Reflecting
06. She Sang To Me
07. Sophia
08. The Plans We Made
09. New Star
10. You Exist In Everything
::
::


::Mais Informações: Facebook/Site oficial


::O vídeo oficial de ‘Just Reflecting’:

Anteriores BOOGARINS – Sombrou Dúvida (2019)
Próximo UNKNOWN PLEASURES (Joy Division, 1979)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado.