‘Batman’ é o retrato da violência olhando-se no espelho


the-batman-still-movie-2022

*Texto De Eduardo Juliano e Apolo Andrade

Nos filmes, assim como na vida, às vezes tudo é uma questão de perspectiva. A visão que uma pessoa tem sobre determinado fato pode divergir totalmente da visão de outra simplesmente por ter sido percebida por ângulos diferentes. É justamente essa mudança de perspectiva que faz toda diferença no novo filme de Batman (The Batman, 2022), escrito e dirigido por Matt Reeves, responsável por revitalizar a franquia Planeta dos Macacos a partir de 2014.

De acordo com a visão densa de Reeves, somos levados a uma Gotham sufocante, sensação reforçada pela trilha sonora magistral do Michael Giacchino (UP, 2009 e Rogue One, 2016) e pela fotografia belíssima de Greig Fraser (Rogue One, 2016 e Duna, 2021), sempre escura e úmida, na qual o medo move absolutamente todos os personagens. Bruce Wayne não é um playboy que gosta de ostentar mulheres e carros, como visto em outras versões, mas um órfão perturbado e introspectivo. Assim como o Batman não é o herói de ação “milagroso”, detentor de naves e engenhocas altamente tecnológicas. Nesta versão, baseada nos quadrinhos iniciais da DC (Detective Comics), Batman é um grande detetive tentando encontrar um assassino em série que, através de seus crimes, pretende expor toda a elite corrupta de Gotham.

O medo, propulsor da raiva, da violência, da opressão, da guerra e da vingança, ganha corpo e peso numa releitura crua e ao mesmo tempo fantástica da nossa civilização. A engrenagem do bem contra o mal apenas gira em reação a injustiça entranhada estruturalmente em Gotham.

Em meio a tudo isso, o jovem Bruce Wayne, em apenas seu segundo ano como o truculento Batman, está lidando com o fato desmotivante de não ter conseguido reduzir os índices de criminalidade, enquanto tenta encontrar sua relevância. Afinal, não estariam seus métodos violentos gerando ainda mais violência e motivando mentes perturbadas e sádicas a buscar sua própria justiça?

Como forma de sair da letargia, Batman é convidado pelo assassino, Charada, numa interpretação aterrorizante do Paul Dano, a participar ativamente das investigações através de mensagens codificadas endereçadas ao homem-morcego. Interessante notar que herói e vilão buscam exatamente a mesma coisa. O único ponto que os difere é o entendimento que cada um tem por justiça e consequentemente os meios que cada um usa para alcança-la, nada mais.

robert-pattinson-zoe-kravitz-the-batman

Nesse sentido, o despertar de Batman é gradual e muito bem trabalhado nas três horas de duração do filme. Temos tempo para assimilar a complexidade da situação, bem como entender profundamente as motivações e interesses de todos os personagens que o circulam.

Outro ponto interessante do longa é que na maior parte das cenas de embate e perseguição, temos a perspectiva dos criminosos. Ou seja, sentimos na pele o medo imposto pela imponência do vigilante louco fantasiado de morcego. Mas a interpretação do Robert Pattinson é tão versátil e certeira que faz com que seu Batman, seja tanto aquele que provoca medo, quanto o que o sente.

O roteiro afiado não faz questão de esconder que os verdadeiros vilões são os típicos “cidadãos de bem”: os políticos nos quais votamos ano após ano, os empresários e empreendedores de sucesso que admiramos, a polícia (não generalizando) que deveria nos proteger e acaba nos vendendo, e o poder do capital, que financia todos os “esquemas” e alimenta todas as ganâncias e vícios.

+++ LEIA A CRÍTICA DE ‘HOMEM-ARANHA NO ARANHAVERSO’

Distanciando-se das convenções do gênero de filmes de super-heróis e buscando clara inspiração no movimento Neo-Noir dos anos 80 e 90, The Batman renova a visão do personagem estabelecida ao longo de décadas de adaptações e, com Robert Pattison no papel titular, traz a juventude e a esperança necessária para limpar a cidade de Gotham, assim como toda uma indústria do entretenimento que se mostra tão formulaica há anos.


the-batman-poster-2022

FICHA TÉCNICA:

Título Original | Ano: The Batman | 2022
Gênero: Herói, Ação, Drama, Policial
País: EUA
Duração: 2h55min
Direção: Matt Reeves
Roteiro: Matt Reeves, Peter Craig e Bill Finger (Criador de Batman)
Elenco: Robert Pattinson, Zoë Kravitz, Jeffrey Wright, Paul Dano,  Colin Farrell, John Turturro, Andy Serkis, Peter Sarsgaard e outros.
Data de Lançamento: 03 de março de 2022 (Brasil)
Censura: 14 anos
Avaliações: IMDB | Rotten Tomatoes
Curiosidades: Matt Reeves afirmou que sua versão do Charada foi parcialmente inspirada no assassino do Zodíaco, que aterrorizou a Califórnia no final dos anos 1960 | O diretor descreve esta versão como uma mistura de história de detetive, filme de ação e thriller psicológico.


O TRAILER:

Anteriores SHOEGAZER WORLD #14 | Blushing, Glare, Kraus & Jōetsu Shore
Próximo Os trinta anos de 'Bricks Are Heavy', do L7

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *