Duster, a banda cult que você (provavelmente) não ouviu


Foto da banda Duster

Sou fascinado pela história de artistas/bandas que são redescobertos e fazem sucesso muitos anos depois de morrerem ou encerrarem suas atividades. Quem não se emocionou com o documentário sobre Rodriguez, o trovador americano do início dos anos 1970 que fez alguns discos obscuros, encerrou a carreira e foi achado 40 anos depois por fãs da África do Sul (onde ele era ídolo e não sabia) que achavam que ele estava morto? E o que dizer da trajetória de artistas como American Football, Slint, Big Star, Slowdive, Bikini Kill e Nick Drake, muito mais famosos hoje do que quando gravaram seus melhores discos?

Um dos casos mais emblemáticos é o da banda Duster, um trio da Califórnia que fez alguns discos no final da década de 1990 que não tiveram repercussão alguma. Eles encerraram as atividades em 2001. Num processo lento de boca a boca a obra do grupo foi sendo descoberta e um culto foi crescendo, alimentado principalmente por jovens eram recém-nascidos quando o trio se separou. O hype se tornou tão grande – com os escassos vinis originais sendo vendidos a preços astronômicos – que a gravadora Numero Group promoveu um relançamento dos álbuns em 2019.

+++ ESSE EU TIVE EM VINIL | Red House Painters

Em 2018, Clay Parton, Canaan Amber e Jason Albertini decidiram voltar para shows e acabaram lançando um ótimo álbum homônimo de inéditas no final de 2019. Além disso, uma coletânea do projeto paralelo Valium Aggelein foi lançada e aclamada pelos críticos em 2020. Hoje em dia, o grupo tem mais de 600 mil ouvintes no Spotify e se tornou um ícone do Indie Lo-Fi.

O que posso dizer pra vocês é que fiquei estupefato e maravilhado logo de cara com a mistura única de Slowcore e Space-Rock orquestrada por eles e posso garantir que não existe nada remotamente parecido. Os vocais são quase inaudíveis, as guitarras entregam timbres peculiares e uma infinidade de efeitos (os caras são verdadeiros geeks de estúdio) criam uma atmosfera escapista e convidativa que inebria os sentidos e, posso garantir, proporciona uma experiência viciante para quem supera a esquisitice inicial.

E, vamos combinar, quer sensação melhor do que descobrir um tesouro escondido, uma banda que parece ser só sua, e ainda compartilhar com os amigos?

O documentário “The Story of Duster” narra a história da banda com um apanhado de imagens, você pode assistir clicando AQUI.

ÁLBUNS:

:: Stratosphere (1998, Up Records)
:: Contemporary Movement (2000, Up Records)
:: Duster (2019, Muddguts)


Duster ao Vivo no The Regent Theater

Anteriores Documentário sobre a banda The Velvet Underground em outubro | Assista o trailer
Próximo PJ HARVEY | Rid of Me

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *