PORTLAND – YOUR COLOURS WILL STAIN (2019)


“Os belgas do Portland chegam com seu début dando importância a alternância entre vocais femininos e masculinos.”

Os belgas Jente Pironet e Sarah Pepels se conheceram nos tempos de escola. Os dois adicionaram Gill Princen (eletrônica) e Amo de Bock (bateria,percussão), formando logo o Portland. Em 2016, participaram do famoso concurso Humo’s Rock Rally que é responsável por lançar bandas novas do país (dEUS, Goose e Black Box Revelation foram algumas delas). Não bastasse isso, a banda realizou algumas covers e duas delas chamaram bastante a atenção: “Matilda” do Alt-J e “Dreams” do Fleetwood Mac. Confiantes, partem para o début.

A característica mais forte da sonoridade do Portland, certamente, são as harmonias vocais entre Jente e Sarah. Em faixas como “Killer’s Mind” e “Step Aside”, a presença do vocal feminino e masculino garante o perfeito equilíbrio e faz a coesão precisa e necessária para um instrumental cativante imerso entre a eletrônica discreta e o pop/rock convencional, porém eficiente. Em “Pearls”, apenas o vocal de Pepels que assume o controle numa melodia regida por piano. Ainda existe tempo para arriscar um folk no fechamento do álbum, com destaque para uma base mais acústica na faixa “Moonlit”.

O grupo não se sai tão perfeito e feliz quando resolve se embrenhar muito no rock e opta por uma sonoridade mais enérgica, a exemplo de “You Misread Me” e “Secrets”, ocasiões onde a melodia fica apagada e a alternância entre os vocais não causa tanto efeito no ouvinte, em contrapartida, são faixas que não ofuscam o trabalho final dos belgas.

Importante ressaltar que a sonoridade do Portland funciona bem melhor quando há uma prioridade ao melancólico ou para texturas mais suaves e cadenciadas, notavelmente percebido em “Lady Moon”.

A banda vai recebendo algumas comparações. Para muitos, existem semelhanças com Alt-J e The xx. Entretanto, melhor aguardar os próximos trabalhos para ver como o grupo processa sua sonoridade, se optará por mudanças e se com o tempo adquira uma identidade própria. O nome da banda é uma homenagem ao cantor Elliot Smith e sua cidade natal, Portland.

NOTA: 6,5


NOTA DOS REDATORES:
Eduardo Juliano:
Isaac Lima:
Luciano Ferreira:

MÉDIA: 6,5


::LEIA TAMBÉM:
EFTERKLANG – ALTID SAMMEN (2019)
STAR HORSE – YOU SAID FOREVER (2019)


::FAIXAS:
01. Lady Moon
02. Killer’s Mind
03. Expectations
04. Pearls
05. Ally Ally
06. Step Aside
07. You Misread Me
08. Lucky Clover
09. Secrets
10. Deadlines
11. Moonlit
::


::Mais Informações: Facebook/Site Oficial


::Ouça “Lucky Clover”:

Anteriores ELI (Eli, 2019)
Próximo PAPISA - FENDA (2019)