SHOEGAZER WORLD #13 | La Casa Al Mare, Go With Strangers, Rancho Relaxo Catatonic Suns & The Laurels


Shoegazer World 13

Italogaze volta à cena com La Casa Al Mare

O Shoegaze feito na Itália é bastante característico. Ao invés de emularem My Bloody Valentine, Ride e Slowdive à exaustão, a maioria das bandas italianas prefere adicionar peso e psicodelia à fórmula criada pelos ingleses. Prova são os últimos discos do Clustersun, RevRevRev e We Melt Chocolate, obras-primas do Italogaze. Mas nem todas agem assim. Lançado em 14 de fevereiro, o EP Otherwise/Autumn, do romano La Casa Al Mare, é um tributo à melancolia e ao wall of sound com vocais em segundo plano marcantes do Shoegaze clássico. A banda é formada por Marco Poloni (baixo e vocais), Paolo Miceli (bateria) e Alessio Pindinelli (guitarra e vocais) e tem quatro EPs publicados em sua página no Bandcamp. Todos excelentes e que merecem cuidados audição.


Da Malásia vem o Go With Strangers, projeto do multiinstrumentista Eugene Sun. Neste seu segundo EP Finding Ikigai, lançado em 11 de fevereiro, o artista deixou de ser solo e trabalhou com toda uma banda, o que encorpou o seu som, que já era repleto de guitarras saturadas e cheias de efeitos. O som passeia entre o Shoegaze clássico e o Dreampop, muitas vezes descambando para o post-rock.


O Shoegaze tem na Psicodelia uma de suas influências mais marcantes, e muita gente passou a conhecer aquele estilo graças a bandas Shoegazers psicodélicas como o The Telescopes. Outras bandas percorrem o mesmo caminho, como a norueguesa Rancho Relaxo, que lançará no próximo dia primeiro de março o seu 11° trabalho, chamado Spirit of Ecstasy, do qual antecipou duas músicas viajantes em sua página do Bandcamp.


Excelente blend de Shoegaze e Neopsicodelia faz o Catatonic Suns, banda de Allentown, na Pensylvannia, EUA. No dia 11 de fevereiro lançou o álbum Saudade em sua página do Bandcamp, em que mostra riffs de guitarra bem afiados entremeados por um wall of sound e vocais arrastados típicos do Shoegaze. Algo como uma mistura do Ride no início com o Telescopes em sua fase mais lisérgica.


Banda australiana de Sydney, The Laurels tem tradição no meio gaze da Oceania. Foi fundada em 2006, mas desde o início não trabalha com o puro Shoegaze. Se nas primeiras duas décadas de existência fundia o wall of sound característico com o peso do Stoner, agora retorna à ativa parecendo um Charlatans psicodélico e pouco ruidoso. De qualquer forma o som é agradável e dançante. Vale conferir.

Anteriores 'Licorice Pizza' é a bobagem estilosa de Paul T. Anderson
Próximo Tributo ao Velvet, 'I’ll Be Your Mirror' traz ótimas versões para clássicos da banda

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *