NADA SURF – Never Not Together (2020)


Foto da banda Nada Surf, resenha de Never Not Together

“Ótimas canções pop apesar da sensação de auto-repetição”

Os novaiorquinos da Nada Surf acabaram de lançar o seu mais novo álbum Never Not Together, que mostra a banda de rock alternativo bebendo cada vez mais da água do Power-Pop e Brit-Pop, algo que trouxe resultados maravilhosos para o som da banda. Pop sem perder o brilho do movimento alternativo. Um som recheado de guitarras grudentas e melodias que lembram Big Stars, Teenage Fanclub e em outras The Cars.

Para os fãs de Indie-Rock, Nada Surf é um velho amigo. Mas o som da banda não se parece mais com o início dos anos noventa. As canções aqui são influenciadas pelo Pop, e o som pode ser considerado edificante.

O álbum abre com uma das melhores músicas deles. “So Much Love” é uma música que tem o espírito de celebrar as coisas boas entre as pessoas, faz lembrar que sempre podemos gerar um pouco de tolerância e aceitação, pois pequenos gestos vão se somando, que podemos ser bons em amar e ser gentis. É uma faixa propícia para os tempos de intolerância atuais, onde o ódio se manifesta das piores maneiras possíveis:  “Qualquer dia, qualquer hora eu estou me sentindo bem/o peso do mundo deve ter lido minha mente”. Mathew Caws mostra-se muito eficaz em composições emocionais, o que vem se destacando desde Let Go (2002) e músicas como “ Inside of Love”.

“Come Get Me” possui arranjos e harmonias terapêuticos. A música e a letra passam a ideia de deixar o medo ir e baixar a guarda para idas e vindas do amor. Em alguns momentos, é como se explorasse traumas de infância e muros que a gente constrói para proteger-se de algo: “Não tenho pressa/quero que essa viagem dure/se eu começar realmente a pensar/meu coração vai começar a bater mais rápido/os dias, eles estão encolhendo/o horizonte está próximo/eu sei que quero alguém/mas não tem ninguém aqui”, diz a letra.

Never Not Together é um disco que puxa para cima em pouco mais de quarenta e dois minutos e nove músicas pop daquelas que a gente adora ouvir. As canções podem até ser mais do mesmo, mas o mais do mesmo da Nada Surf funciona muito bem.

A banda vem sobrevivendo aos efeitos e transformações do tempo, criando um álbum de fortes canções, abordando temas como persistência, tolerância e reflexão, dando ênfase para o amor como um vínculo íntimo e comunitário. Tudo isso associado aos vocais eternamente jovens de Mathew Caws, e um banquete de melodias convidativas.

O álbum faz uma combinação de abertura com “So Munch Love”, “Come Get Me” e “Live Learn and Forget”, viajando por bases sólidas, com canções e melodias que estabelecem sentimentos como arrependimentos ou desejo por um relacionamento, algo que todo mundo já viveu um dia. No meio disso tudo, encontramos a bela “Something I Should Do”, uma canção que passeia por sons de sintetizadores e guitarras deliciosas de deixar sabor de quero mais.

Interessante sobre Never Not Together é que ele foi produzido com Ian Laughton (Supergrass, Ash) e gravado no Rockfields Studios, no país de Gales. Esse é o nono álbum da banda, que é dedicado à memória de Ric Ocasek (The Cars), que produziu High/Low (1996), álbum de estreia da banda.

O álbum as vezes pode soar repetitivo ou deixar com impressão de já ter ouvido isso em tempos passados. Mas traz ótimas canções pop, muito bem construídas e arranjadas, e que passam uma mensagem de positividade em tempos tão sombrios e esquisitos… o amor ainda prevalece: “Agora as luzes estão apagadas/encontre sua paz e descanse um pouco/eu serei seu vigia/ quando for minha vez, você será isso para mim/e você vai acalmar toda a minha dúvida”. São os versos que encerram com a magnifica “Ride In The Unknown”, e deixa uma lição para um mundo que acelera demais, para um mundo onde ansiedade, depressão e suicídios se tornaram recorrentes. Um mundo onde o autocuidado e o amor próprio são uma luta diária.

Em um universo de relações cada vez mais supérfluas, o amor pode não salvar ninguém, mas pelo menos serve como algum consolo.

NOTA: 8,0


NOTA DOS REDATORES:

Eduardo Salvalaio: –
Eduardo Juliano:
Isaac Lima:
Luciano Ferreira:

MÉDIA: 8,0


Capa do álbum Never Not Together, da Nada Surf

:: FAIXAS:

01. So Much Love
02. Come Get Me
03. Live Learn and Forget
04. Just Wait
05. Something I Should Do
06. Looking For You
07. Crowded Star
08. Mathilda
09. Ride In The Unknown

 


LEIA TAMBÉM:

RESENHA: DEATH CAB FOR CUTIE – Thank You for Today (2018)
CLÁSSICOS: PAVEMENT – Slanted and Enchanted (1991)


:: Ouça o álbum na íntegra:


:: Assista ao videoclipe de “Looking For You”:


Anteriores NEW ORDER :: Banda junta-se aos Pet Shop Boys em turnê
Próximo Still, homenagem ao Joy Division com Frusciante, Flea e Klinghoffer

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *