BON IVER – I, I (Jagjaguwar, 2019)



“I,I traz Bon Iver acrescentando novas ideias e caminhos para o gênero folk.”

James Blake, Bruce Hornsby, Francis Starlite, Brooklyn Youth Chorus e Poliça são algumas das participações especiais de I,I, novo álbum de Bon Iver, projeto musical do americano Justin Vernon. Em seu quarto trabalho como Bon Iver, constata-se que Justin incorporou bastante as sonoridades dos artistas convidados. Tem um pouco de soul, jazz, R&B, do gospel com ênfase no coro de vozes e do próprio folk que é o gênero onde nosso artista deu início a suas composições, 11 anos atrás.

Depois do aclamado début For Emma, Forever Ago (2008) até os dias atuais, Bon Iver fez questão de ampliar o gênero folk dando uma dimensão maior a sua sonoridade, se distanciando de seguir um padrão único e sempre igual. Uma remodelagem do folk que se utiliza de recursos tecnológicos, pede a inserção de outros gêneros e chega como resumo da própria maturidade do artista, fato bem notado em 22, A Million (2016).

Com intuito de desestruturar a música e não se pensar metodicamente ao se criar melodias, Bon Iver chega a causar estranheza, a começar pela abertura de “Yi” onde a música parece ainda estar crua e talvez necessitasse de mais produção, porém tudo é proposital e serve de alerta ao ouvinte do que virá pela frente.

“iMi” mistura elementos acústicos, sopros e efeitos que servem de base perfeita para a voz em falseto de Vernon. “Hey Ma”, uma das melhores do álbum, tem um pé na soul music com um andamento musical crescente, destaque novamente para os vocais que se acumulam em camadas. “U (Man Like)” poderia tranquilamente ser alguma canção do catálogo da Motown Records, nota-se as influências de artistas da gravadora para o músico.

A imponente “Naeem” tem andamento musical crescente e talvez seja a que mais se aproxima do pop-rock no álbum, com certeza a mais acessível de primeira audição. “Salem” lembra muito o folk dos trabalhos iniciais do artista, aqui com mais detalhes e textura instrumental complexa. Outra característica forte de I,I fica por conta do uso de sopros, o instrumento é constante e é dele que vem todo o charme da faixa “S’Diah”.

Modelando o seu futuro sem perder o poder criativo dos primórdios de carreira, Bon Iver segue ousando e ampliando sua sonoridade para ir além de um folk tradicional. Faz bem assim e cada vez mais deixa o ouvinte curioso do que pode aprontar ainda.

NOTA: 8,5


NOTA DOS REDATORES:
Eduardo Juliano:
Isaac Lima:
Luciano Ferreira:

MÉDIA: 8,5


::LEIA TAMBÉM:
JENNY LEWIS – ON THE LINE (2019)
OKKERVIL RIVER – IN THE RAINBOW RAIN (2018)


::FAIXAS:
01. Yi
02. iMi
03. We
04. Holyfields,
05. Hey, Ma
06. U (Man, Like)
07. Naeem
08. Joelmore
09. Faith
10. Marion
11. Salem
12. Sh’Diah
13. RABi


::Mais Informações: Facebook/Site oficial


::Ouça “iMi”:

Anteriores ECHO AND THE BUNNYMEN - The John Peel Sessions 1979-1983 (2019)
Próximo DARKSIDERS III (Gunfire Games, 2018)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado.