Midnight Oil critica negacionistas em “Rising Seas”


Peter Garret, do Midnight Oil, para texto sobre Rising Seas
Foto | Awais Butt

Oriunda da Australia, Midnight Oil sempre foi uma banda engajada politicamente e em defesa de causas ambientais. Em “Rising Seas”, seu mais novo single, com “voz firme” a banda não se furta de meter o dedo na ferida, denunciam os efeitos nocivos das mudanças climáticas provocadas pela ação do homem e aproveitam para alfinetar o culto a celebridades, trazendo assim uma letra bastante contundente, tudo isso mostrado no videoclipe, que traz imagens fornecidas pelo Greenpeace (ASSISTA AO FINAL).

O lançamento de “Rising Seas” (algo como a Subida das Marés ou Mares) tem um propósito político, acontece dias antes da conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas. Em uma declaração, a banda diz que a música tem como objetivo “adicionar a voz única da banda a bilhões de outras pessoas ao redor do mundo que buscam um futuro seguro, habitável e justo para o nosso planeta”.

+++ ESPECIAL | McCarthy, o discurso politizado do Jangle-Pop

“Rising Seas” é uma amostra do novo álbum que a banda pretende lançar em 2022 (deveria ter sido lançado no início desse mês), e foi gravado antes do início da pandemia da COVID-19 e da morte do baixista Bones Hillman, ou seja na mesma época de The Makarrata Project (2020), que marcou o retorno do grupo após um hiato de quase 18 anos. O guitarrista e compositor da canção,  Jim Moginie, comentou sobre o lançamento: “A crise climática exige um senso real de urgência, então decidimos não esperar mais para compartilhá-la”.

Midnight Oil foi formada na segunda metade da década de 70, tendo à frente o vocalista Peter Garrett. O grupo se notabilizou pelo engajamento em causas ambientais e pelas letras de conteúdo politizado. Em 2002, após o lançamento de Capricornia, o vocalista deixou a banda, que encerrou as atividades. Garret conseguiu se eleger para o parlamento australiano em 2004. A banda retornou as atividades em 2017 para uma turnê mundial.

A LETRA DE “RISING SEAS”

Every child put down your toys
And come inside to sleep
We have to look you in the eye and say we sold you cheap
Lets confess we did not act
With serious urgency
So open up the floodgates
To the rising seas

Temperature rising
Climate denying
Fever is gripping
Nobody’s listening
Lustre is fading
Because nobody’s trading
Wall Street is jumping
Still the music keeps pumping

If you can’t decide
Between wrong and right
If you can’t see through
All that you hold true

Queen of the Firmament
Lord of all beneath
Masters of the Universe
We’re all refugees
And in many countries they adore celebrities
Open up the floodgates
To the Rising Seas
Dinosaur stories
Reliving past glories
Lusting for gold
F-f-fishing for souls
They said it was coming
We knew it was a-coming

If you lift your game
Put your toys away
Well it looks like rain
On that Western plain

Queen of the Firmament
Lord of all beneath
Masters of the Universe
We’re all refugees
And in many countries they adore celebrities
Open up the floodgates
To the Rising Seas


O VIDEOCLIPE DE “RISING SEAS”:

Anteriores Precisamos falar sobre 'Whirlpool', do Chapterhouse
Próximo The Sparks Brothers conta a história do duo Sparks, dos irmãos Mael

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *