Mogwai – Every Country’s Sun (2017)


‘Banda escocesa continua num lugar confortável dentro do gênero post-rock e cada vez a maturidade e a experiência contam na discografia que ela constrói’.

Era um horário de almoço num dia qualquer de serviço. Tinha muito tempo para dar uma conferida nas lojas de cd’s usados da cidade. Hábito esporádico e quase sempre prolífico que cultivava. MP3 era algo novo, ainda quase intocado, nem tão acessível. Na loja, me deparo com um disco chamado ‘Come On Die Young’. A capa era uma pessoa parecendo um fantasma, com o rosto todo branco, o nome da banda era Mogwai. Minha mente que costuma me enganar me situou aquilo como sendo algo de que não iria gostar, e por azar, todos os aparelhos de cd-player estavam sendo utilizados para eu ouvir rapidamente o álbum. Pelas leituras de Bizz que eu tinha, também não consegui lembrar instantaneamente do grupo. Entretanto me lembrei do bichinho com o mesmo nome do clássico filme Gremlins (1984) de Joe Dante. Fui embora, deixando a oportunidade da aquisição do álbum para outra pessoa.

O tempo passou. Do Mogwai me esqueci. Veio o MP3. Feito um menino num dia de verão atrás do caminhão de sorvete, ávido fui atrás daquele mundo de bandas que surgiam pra mim, ou mesmo queria baixar aqueles discos que não pude ter na época dos vinis. Como algo que martela, algo que implora, o Mogwai tornou a aparecer pra mim em 2008 com ‘The Hawk Is Howling’. Eu e uns amigos tínhamos o costume de, numa página do finado fotolog, não colocar nossas fotos de viagens, e sim, colocar algum disco que precisávamos compartilhar. Nessa empreitada, ouvi o disco que trazia uma imponente águia na capa. Dessa forma, então, era agarrado pelas garras dos escoceses do Mogwai.

Fui atrás do injustiçado disco de 1999, ‘Come On Die Young’. Refiz o meu erro de 9 anos atrás. Eu nem gostava de música apenas instrumental, engraçado esse fato. Baixo-guitarra-bateria e um refrão grudento era minha prioridade. Queria nada que fugia dos padrões convencionais do meu gosto musical. Desaprendi o que sabia. Aprendi a gostar mais de música. Pesquisei outros gêneros, me informei mais. Mogwai foi uma das bandas que abriu essa brecha? Quem sabe. Colaborou um pouco. Cada coisa que ouvi, os textos que li, blogs que vasculhei, informações de outros amigos ouvintes, tudo agora soma pontos para o conhecimento musical que fui assimilando, sobretudo de 2000 até agora.

Como um processo de transformação que aconteceu comigo, da mesma forma aconteceu com o Mogwai. Banda foi ficando experiente, lançou trilha sonora, conquistou seu espaço e agora se dá ao luxo até de colocar uns vocais e fazer uma canção pop-rock contagiante que poderia estar num disco do Ride ou mesmo do New Order (‘Party In The Dark’). Os vocais voltam a aparecer em ‘1000 Foot Face’ que ganha um contorno de folk obscuro e ‘Fight For Work’ com levada mais lo-fi, nem por isso deixam de ser canções menos atraentes. As demais faixas continuam o jeito Mogway de se fazer música. A banda dosa seus instrumentos numa sabedoria ímpar, tudo em balanço, camadas de instrumentos que ganham mais ênfase a cada audição: baixo suntuoso, o piano oportuno, a bateria no seu velho e infalível formato rock, guitarras que criam ora momentos climáticos (‘aka 47’) ora momentos mais agressivos (‘Crossing The Road Material’ e ‘Battered At A Scramble’). A influência de ter feito trilha sonora pra série ‘Les Revenants’ se refletem na cinematográfica ‘Don’t Believe The Fife’.

Talvez um dos poucos problemas de ‘Every Country’s Sun’ seja a compreensão total do álbum. Ele é longo, mais de 60 minutos de duração, pode não ser digerido em poucas audições. Funciona melhor até se escutado sem interrupções, como se fosse um bloco único, e de preferência sem muito barulho externo ao redor. O que sempre gosto de fazer, escutar num ambiente escuro, ir percebendo as camadas, deixando o sensorial me conduzir, permitir meu espírito se perder por uma hora sem dor na consciência (dessa forma que tive inspiração para boa parte dos meus textos que chegaram até vocês, leitores). Sendo assim, continuo minha rotina, aprendendo cada vez mais, me aprimorando. Bandas como Mogwai surgem para acrescentar essa experiência, mostrar que estamos em constante aprendizado como ela mesmo está, a relação músico-ouvinte funciona bem assim.

Nota: 8,5

Faixas
01 – Coolverine
02 – Party In The Dark
03 – Brain Sweeties
04 – Crossing The Road Material
05 – aka 47
06 – 20 Size
07 – 1000 Foot Face
08 – Don’t Believe The Fife
09 – Battered At A Scramble
10 – Old Poisons
11 – Every Country’s Sun

Allmusic
Facebook
Site
Twitter

Ouça ‘Coolverine’

Anteriores Assista ao Trailler da ficção Annihilation
Próximo Liars – TFCF (2017)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado.