THE FALL – Our Future Your Clutter (2010)


“The Fall, vivo e chutando”

Poucas bandas que ultrapassaram a barreira dos trinta anos conseguem ser tão prolíficas quanto o The Fall e se manter fazendo álbuns com tamanha regularidade e qualidade, no caso do The Fall a tarefa parece ser ainda mais difícil, porque há poucos espaços para variações e eles preferem não sair de sua linha mestra musical.

Com uma carreira marcada por mudanças na formação e de gravadora, Mark E. Smith e o seu The Fall, após dois anos do lançamento de seu último álbum – o ótimo ‘Imperial Wax Solvent’-, chegam ao seu vigésimo oitavo álbum de estúdio, agora pela gravadora Domino Records e mantendo a mesma formação do álbum anterior, que pode ser colocada entre as melhores já capitaneadas por Smith.

‘OFYC’ segue a mesma linha de seu antecessor, com uma pegada forte na cozinha, reparem em ‘Hot Cake’; e riffs de guitarra ao melhor estilo psychobilly, vide ‘Funnel of Love’, cover de Wanda Jackson, e ‘Y.F.O.C. – Slippy Floor’, mais as básicas melodias de teclados e synths. Smith continua sarcástico, com suas letras ácidas, como na longa e estranha ‘Weather Report 2’, onde canta: “Ninguém jamais me chamou de sir em toda a minha vida”.

São apenas nove canções, mas a maioria com mais de cinco minutos, onde ficam abertos os caminhos para uma diversidade de intervenções e mudanças de andamentos, embora as opções sejam por canções mais lineares, de andamentos constantes, com as experimentações começando em ‘Cowboy George’, que como sugere o título é uma espécie de canção western, com riffs de guitarra seguindo o estilo.

Poucas canções do The Fall possuem um grave tão poderoso quanto ‘Chino’, uma das melhores e mais estranhas do álbum, entrecortada por riffs “misteriosos”. Na categoria pau na moleira, poucas canções exalam tanta urgência quanto ‘O.F.Y.C. Showcase’, uma parente muito próxima de ‘50 Year Old Man’, do álbum anterior, ou ‘Hot Cake’, com uma levada forte no baixão distorcido.

Colocados lado a lado, ‘Our Future Your Clutter’ faz uma dobradinha interessante com ‘Imperial Wax Solvent’, podendo vir a se tornar uma trilogia das mais interessantes da banda, caso mantenham a mesma pegada num álbum vindouro, o que é quase impossível de se afirmar já que falamos de uma banda que não costuma seguir em linha reta, mas seguir por curvas, ladeiras e caminhos acidentados.

NOTA: 8,0

:: FAIXAS:
01. O.F.Y.C. Showcase
02. Bury Pts 1 & 3
03. Mexico Wax Solvent
04. Cowboy George
05. Hot Cake
06. Y.F.O.C. Slippy Floor
07. Chino
08. Funnel Of Love
09. Weather Report 2

:: Ouça abaixo “Chino”:

Anteriores AIRIEL– The Battle of Sealand (2007)
Próximo JAMES – Hey Ma (2008)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado.