THE POLICE – Outlandos d’Amour (1978)


DISCOGRAFIA COMENTADA: THE POLICE (PARTE 1 – OUTLANDOS D’AMOUR)

Em 1976, após um encontro num clube de jazz, Stuart Copeland (bateria), Gordon Sumner AKA Sting (baixo e voz) e Henry Padovani (guitarra) resolvem formar o The Police. Dois meses após já faziam seu primeiro show. Com essa formação inicial, gravaram em 1977 o single “Fall Out”/”Nothing Achieving”.

Ainda em 77, Sting aceita o convite de Mike Howlett, baixista do Gong, para participar do Strontium 90. Junto consigo, Sting traz Copeland, e Howlett apresenta o guitarrista Andy Summers à dupla. Juntos fazem alguns shows e gravações, que viriam a ser lançadas em 1997 no álbum “Strontium 90: Police Academy”.

Impressionado com a habilidade de seus companheiros, Summers os convence a deixá-lo participar do Police. Com isso a banda passar a ser provisoriamente um quarteto, com Summers, guitarrista profissional já rodado, assumindo a guitarra solo.

A entrada de um segundo guitarrista e com mais técnica desagradou Padovani, criando um clima de tensão com Summers, que se irritava com a pouca técnica de Padovani. Ainda em 77, Padovani deixa a banda. Mais tarde ele viria a formar a sua própria , a Flying Padovanis.

Reduzidos a um trio, formação que se manterá para sempre, o Police cumpre uma agenda de muitas apresentações em 1977, aprimoravam sua música e iam fazendo sua reputação. Estavam no olho do furacão punk e, conforme palavras dos mesmos, em suas apresentações procuravam ser o mais econômicos e crus quanto possível para que fossem “aceitos” tanto pelo público quanto pelas casas de shows, já que todos eram músicos habilidosos e o lema punk era de canções com poucos acordes e mais atitude.

Em janeiro de 1978 o trio começou as sessões de gravação de “Outlandos d’Amour” no Surrey Sound Studios, em Londres. Na produção, Nigel Gray.  Devido aos recursos escassos, o processo de gravação se estendeu até o mês de agosto, com a banda aproveitando os horários vagos do estúdio. Em abril de 78 lançam o single “Roxanne”, que segundo Sting  teria sido composta em ritmo de bossa nova, o que não agradou David Copeland, que esperava que a banda seguisse pelo caminho do punk e fez com que a banda desse uma outra roupagem à canção. Lançado pela A&M, “Roxanne” não consegue emplacar nas paradas. “Roxanne” foi composta quando a banda se encontrava em Paris, hospedada num hotel próximo a prostíbulos, o cenário serviu de inspiração para a letra de Sting.

A banda tem então uma segunda chance da gravadora com “Can’t Stand Losing You”, que alcança a quadragésima segunda posição e garante o lançamento pela gravadora do primeiro álbum.

Sobre a letra de “Can’t Stand Losing You”, segundo Sting, fala sobre o suicídio de um adolescente, ilustrado pela foto da capa (que chegou a ser banida), que mostra Copeland simulando um enforcamento.

“Outlandos d’Amour” (falando de amor) é lançado em novembro de 1978. Miles Copeland, irmão de David Copeland e empresário da banda, queria que se chamasse “Police Brutality”, ainda na tentativa de vender o grupo como uma banda punk, mas acabou aceitando a ideia e prevaleceu a vontade da banda. Todas as faixas são de autoria de Sting, que começava a assumir certa posição de liderança na banda, o que viria a ser motivo de brigas diversas.

Como primeiro álbum, “Outlandos” mostra dois lados do Police: o lado mais punk e visceral do início da carreira, evidente em faixas como “Next to You” e “Peanuts”, e o lado que viria a predominar em seus trabalhos seguintes, com clara influência de reggae e ska, como em “So Lonely”, “Roxanne”e “Can’t Stand Losing You”. É um álbum que toma três direções diferentes, as duas já citados e mais um terceira em que se permitem experimentar e tentar outras sonoridades, daí surge a new-wave de “Hole in My Life”, o rock direto de “Truth his Everybody”, “Be my Girl, Sally” e “Born in the 50’s”.

O álbum acaba soando diversificado, mas irregular, indefinido, com cada um dando o melhor de si, é verdade, mas não chegando a alcançar o melhor que a banda poderia fazer em estúdio. É o retrato de uma banda ainda buscando encontrar seu som e enquanto isso não acontece vai experimentando. Apesar disso, traz canções que viriam a se tornar clássicos.

Finalizando os lançamentos do ano de 1978, lançam “So Lonely”, terceiro e último single. Anos mais tarde Sting confessaria que se inspirou em “No Woman No Cry”, de Bob Marley, para compor a canção.

:: NOTA: 7,0

>>> LEIA TAMBÉM DE LUCIANO: THE POLICE – Zenyattà Mondatta (1980) <<<

:::

capa do álbum outlandos d'amour do the police

:: FAIXAS:
01. Next To You
02. So Lonely
03. Roxanne
04. Hole In My Life
05. Peanuts
06. Can’t Stand Losing You
07. Truth Hits Everybody
08. Born In The 50’S
09. Be My Girl – Sally
10. Masoko Tanga

 

:::

:: Assista ao videoclipe de “Roxanne”:

Anteriores BEACH HOUSE - Devotion (2008)
Próximo MÁRTIRES (Martyrs, 2008)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *