ESTRANHOS EM CASA | Furie (2019)


Estranhos em Casa, cena do filme

“Atmosfera obscura e violenta com aproximação dos contos de Rubem Fonseca ou Edyr Augusto”

 O thriller psicológico Estranhos em Casa, do diretor francês Olivier Abbou, chega repleto de temáticas impactantes e polêmicas, com uma série de questionamentos sobre masculinidade, elencados sobre críticas sociais e racial. Essas temáticas incidem sobre Paul (Adama Niane), um homem negro, professor de história, que é casado com uma mulher branca, Chloé (Stéphane Caillard).

A premissa do filme parte da seguinte situação: Paul e família saem de férias e emprestam a casa para a babá e seu marido morarem durante esse período. Ao voltarem das férias, encontram sua casa trancada e ocupada pelo casal que se dizem ser os novos inquilinos do imóvel. Munidos de um suposto contrato informal, recusam-se a sair da casa. Algo que vai se estender em um embaraçoso processo jurídico, obrigando Paul e sua família a mudarem temporariamente para um camping, gerenciado por Mickey (Paul Hamy), um velho conhecido de Chloé, que exercerá influência direta sobre os questionamentos que Paul passa a fazer a si mesmo.

Paul, como um homem negro, se depara com situações que complicam sua vida e fazem questionar sobre seus posicionamentos perante os acontecimentos. Um professor de história que leva uma vida mais pacata e tranquila não é de tomar muitas atitudes e aí parece que o universo, o mundo, e as pessoas em volta e as situações que ele precisa encarar está pedindo para que ele saia dessa redoma e tome atitudes mais severas.

Estamos diante de uma história no mínimo absurda que foi inspirada em eventos reais. É nesse emaranhado de situações desconcertantes que o diretor Abbou cria sua trama de tensões e conflitos psicológicos que flertam com bons momentos de adrenalina e de violência exacerbada.  As tomadas de câmera e fotografia fria e obscura com tons de cores vibrantes e fortes, traduzem muito bem o suspense e jogo psicológico proposto pelo filme. Esses elementos de produção ampliam e aproximam do espectador as aflições dos personagens.

O trabalho de Olivier Abbou é preciso e certeiro, ele consegue amarrar e canalizar a atmosfera dos filmes de terror, despertando uma curiosidade e ansiedade para o desfecho dessa lunática história. Em outros momentos nos deixa reflexivos, pensando em como agiríamos em tal situação.

A cenografia é graciosa.  A opção foi por filmar em espaços abertos repletos de paisagens, cenários que trazem a lembrança de clássicos como Massacre da Serra Elétrica, de 1974.

As críticas sociais e conflitos raciais na abordagem do longa poderiam ser mais aproveitados, mas é algo que vai se dissipando com as tentativas frustradas de reconquistar a casa. Você pode até chegar a perder um pouco o interesse nesses aspectos, mas o filme trafega por caminhos e passagens repletas de reviravoltas; certos momentos parece que estamos diante de um cenário do filme Corra (2017); em outros, pisando no longa coreano Parasita (2019), com uma pegada mais focada no terror.

Outro ponto que ajuda para o desenrolar da trama é o que o filme não é longo. Com 97 minutos, ele se desenrola de forma rápida sem espaços para rodeios. É uma história que não tem espaço para mocinhos e mocinhas nem mesmo para heróis e heroínas. O clima de mistério, inquietação e agonia em Estranhos em Casa é imposto de forma frenética e voraz, e no seu último ato ganha reviravoltas que beiram a banalidade da violência gratuita. De forma polêmica, se utiliza do gore para concluir em momentos um tanto perturbadores e impactantes que faz lembrar do clássico Sob o Domínio do Medo (1971).

Estranhos em Casa é um filme que narra uma história absurda, bizarra e revoltante tocada pelo drama com momentos de suspense e terror psicológico que aborda questões sociais e raciais bem atuais e relevantes. Não chega a ser um clássico como as obras aqui citadas, mas em muitos momentos parece ter sido tirado das histórias literárias de Rubem Fonseca ou Edyr Augusto.

>>>ASSISTIR<<<

NOTA: 7.2


NOTA DOS REDATORES:
EDUARDO JULIANO: –
EDUARDO SALVALAIO: –
ISAAC LIMA: –
LUCIANO FERREIRA: –
MÉDIA: 7.2


LEIA TAMBÉM:

RESENHA: A CASA | HOGAR (2020)
RESENHA: O SILÊNCIO | The Silence (2019)


Estranhos em Casa, cartaz

:: FICHA TÉCNICA:

Gênero: Thriller, Drama
Duração: 1h37min
Direção: Olivier Abbou
Roteiro: Olivier Abbou e Aurélien Molas
Elenco: Adama Niane, Stéphane Caillard, Paul Hamy, Eddy Leduc, Hubert Delattre e outros
Data de Lançamento: 06 de novembro de 2019 (França)
País de origem: França
Censura: 18 anos
Avaliações/Informações: IMDB | ROTTEN TOMATOES

 

 


:: Assista ao trailer:


Anteriores VOVÔ BEBÊ | Briga de Família
Próximo SHOEGAZER ALIVE # 8 | Star-Crossed Lovers, Waterville, Craque, Reclaimed & Ultra Material

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *