SHOEGAZER ALIVE #12 | Superdrone, Code Ascending, Nossieness, Beatastic & Become The Sky


Superdrone, foto da banda
Superdrone

A nova geração do Shoegaze britânico

O Shoegaze nasceu no Reino Unido no final dos anos 80, e se espalhou pelo mundo. Apesar de muitas cenas atualmente estarem até mais agitadas, artistas britânicos continuam fazendo muito barulho e levando adiante a bandeira do ruído melódico. Na coluna da semana, indicamos cinco dos mais significativos artistas locais que entraram na cena recentemente – motivo pelo qual não estão listadas bandas formidáveis, mas que são hoje “veteranas”, como 93MillionMilesFromTheSun e Air Formation, consideradas da segunda geração do Shoegaze. Confiram!

::: LEIA TAMBÉM: SHOEGAZER ALIVE #2 | SHOEGAZER ALIVE #3SHOEGAZER ALIVE #4SHOEGAZER ALIVE # 5 | SHOEGAZER ALIVE # 6SHOEGAZER ALIVE # 7 | SHOEGAZER ALIVE #8 | SHOEGAZER ALIVE #9 | SHOEGAZER ALIVE #10 | SHOEGAZER ALIVE #11 :::


SUPERDRONE | Starcade (2019)

Deixo o link para o disco de 2019, mas recomendo aos leitores ficarem espertos, porque o Superdrone (FOTO DE DESTAQUE), de Southampton, estará lançando entre o final de junho e começo de julho um álbum totalmente novo, chamado Sloargaze, que deve sair no Bandcamp. Na primeira audição, parece seguir as linhas de Starcade, que é de um Shoegaze mais leve, tipo Ride em Blank Going Again, com predominância dos arranjos melódicos sobre o puro noise.

::: Bandcamp | Facebook | Instagram | Spotify | Twitter :::


CODE ASCENDING | Dark Taxa (2019)

Estabelecida em Crawley, a banda é nova, mas seu líder é velho conhecido da cena Shoegaze. Trata-se de James Harrison, baterista do Air Formation, You Walk Through Walls e Monster Movie, que aqui mantém o wall of sound de suas bandas originais, porém, com um vocal mais agressivo, quase chegando, muitas vezes aos timbres característicos do Post-Hardcore. É Shoegaze clássico, recomendável para ouvir muito alto, como a banda indica em sua página do Bandcamp.

::: Bandcamp | Facebook | Instagram | Spotify | Twitter :::


NOSSIENESS | Vivere  (EP, 2020)

Banda de Bristol, que lançou um dos melhores EP’s do primeiro semestre de 2020. Faz um Shoegaze com o tradicional wall of sound, contornado por arranjos psicodélicos que prendem a audição do primeiro ao último acorde. Poderia ser definido como um encontro festivo de The Brian Jonestown Massacre com The Jesus & Mary Chain. Pena ser um EP. Três músicas é muito pouco…

::: Bandcamp | Facebook | Instagram | Spotify | Twitter :::


BEATASTIC | Diffraction (EP, 2019)

Nicolas Pierre Wardell, ou Nico Beatastic, é um francês radicado em Brighton, Inglaterra, e apaixonado por Shoegaze e Dreampop. Seu projeto Beatastic vai na linha da fase psicodélica do Ride, com arranjos de guitarra mais melódicos e menos ruidosos. A eletrônica também se faz presente em algumas músicas.

::: Bandcamp | Instagram | Spotify | Twitter :::


BECOME THE SKY | Writen in the Stars/Raindown (Single, 2020)

De Liverpool vem o Become the Sky, que faz um híbrido de Shoegaze e Dreampop muito bem arranjado e com vocais etéreos de Anne Marie Howard. Até agora a banda lançou apenas singles e EP’s, e aguarda-se um disco cheio, quem sabe ainda neste ano.

::: Bandcamp | Facebook | Instagram | Spotify | Twitter :::


 

Anteriores HOMEM-ARANHA: NO ARANHAVERSO | Sony adia data de estreia
Próximo HINDS | The Prettiest Curse

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *