This is Canoas, Not Poá é mais que um documentário sobre a cena musical da cidade


Poster do documentário This is Canoas, Not Poá

Dirigido por Wender Zanon, que viveu de perto parte da cena da cidade, This is Canoas, Not Poá (ASSISTA  AO FINAL) é um documentário imperdível, busca ao longo de aproximadamente duas horas, através de várias entrevistas e extenso material de arquivo (fotos, vídeos), resgatar a cena alternativa da cidade ao longo de quatro décadas, com ênfase no Rock e derivados: Punk, Hardcore, Metal, Pós-Punk e outros.

O filme foi produzido durante a pandemia com recursos do Governo Federal através da Lei 14.017/2020 (Lei Aldir Blanc), administrados pela Prefeitura da cidade de Canoas. A produção teve início em agosto de 2020 e foram entrevistadas cerca de sessenta pessoas no espaço de trinta dias.

São muitas e muitas histórias contadas por músicos, produtores, donos de estúdio, loja de discos, bares, algumas recheadas de comicidade trágica, como o episódio em que a banda Cachorro Grande destruiu o espaço em que as bandas locais se apresentavam e depois teve que sair protegida da fúria do público. Ou sobre o Gullys/Bate-Bate, espaço que funcionava para shows de Rock num dia a Pagode no outro.

É difícil quem mora em cidades próximas ou longe dos grandes centros urbanos não se identificar com os relatos de dificuldades enfrentados pelas bandas para ensaiar e tocar. Gravar então era coisa de outro mundo.

Um dos pontos bastante interessantes é que a trilha sonora é toda composta por músicas das bandas locais. Buscando dar maior abrangência possível, o filme de Zanon acompanha a cena de Canoas desde o início da década de 80 até os dias atuais.

Já em seus minutos iniciais, a cidade é descrita das mais variadas formas pelos entrevistados: “Uma cidade underground”, “Uma cidade underground”, “A capital do xis”, “Grande que se comporta como pequena”, e uma que resume muitas outras mundo afora: “Canoas é um lugar abençoado por ser próxima de Porto Alegre e amaldiçoada por ser próxima de Porto Alegre”.

E por que o título This is Canoas, Not Poá? Em entrevista, Zenon explicou: “A inspiração é da coletânea “This is Boston, Not L.A” que foi lançada em 82. Eu fazia uns shows na cidade com o Coletivo B.I.L e quando sai do coletivo e comecei a produzir meus próprios eventos precisava pensar em nomes, e aí fiz uma série de shows com esse nome “This is Canoas, not POA”. Quando comecei a trabalhar na ideia do filme resolvi aproveitar que já tinha esse nome e que fazia também sentindo se virasse um filme”.

+++ The Velvet Underground, de Todd Haynes, é registro abrangente

Mais que um documentário musical, o filme é um registro antropológico, sociológico e cultural que ajuda a entender a realidade de jovens em cidades periféricas e com escassas opções de lazer e cultura. É também um exemplo de como, diante das dificuldades, as pessoas podem se “unir” em busca de um objetivo comum, um sonho comum.

Nesse sentido, há bastante nostalgia em muitos relatos, e não tinha como ser diferente. Voltar ao passado e resgatar memórias de uma época que apesar de difícil tinha suas recompensas e diversão, acaba gerando esse sentimento um tanto melancólico. É como uma frase clássica de Clemente (Inocentes): “Eu era feliz quando era triste”.

LINKS RELACIONADOS:

+++ Página do DOC no Youtube com Playlist das canções e partes que ficaram de fora
+++ Entrevista de Wender Zanon no site Organpazan
+++ Entrevista de Wender Zanon no Scream & Yell


ASSISTA AO DOCUMENTÁRIO ‘THIS IS CANOAS, NOT POÁ’:

Anteriores PARABÓLICA #18 | Singles, o canal do The House of Love e o documentário do A-Ha
Próximo O Come está de volta, em Peel Sessions

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *