CARLOS MESSIAS | Cultura Pop e Relações Supérfluas em ‘Consolação’


Consolação, foto do livro de Carlos Messias

A dica de hoje é o livro Consolação, de Carlos Messias, lançado pela Editora Prosaica.

Consolação é um romance aventurado pela cultura pop, narra a vida de Marcos Camargo e sua rotina conturbada, regada a drogas, álcool, sexo, mulheres e trabalho. Uma jornada de desventuras em séries.

Marcos é um jornalista na faixa dos trinta anos, que perde o emprego na redação em que trabalha e leva um tremendo pé na bunda da namorada ao mesmo tempo. Em meio a esse turbilhão de acontecimentos que explodem em sua mente, ele descobre que sua ex já está em um novo relacionamento.

Carlos Messias, foto escritorDiante dessa premissa, Marcos se lança em uma empreitada, uma espécie de desafio com o próprio ego masculino, de levar cem mulheres para a cama. Ele se muda com seu cachorro para o bairro paulista Consolação, e sua nova vida de solteiro vai transformar sua rotina em noites regadas por muito sexo, drogas e Rock’n’Roll.

É nessa crise dos trintas anos, que Marcos vai descobrir que o mundo não é mais o mesmo. As mulheres não são mais as mesmas, e a maneira de conversar, interagir, até mesmo persuadi-las para uma noite frenética de sexo, também não é mais como antes.

Ambientado em uma era digital totalmente contraria ao machismo, a narrativa expõe Marcos em sua desajustada tentativa de se adequar e sobreviver a uma era moderna movida a likes, curtidas e noitadas de sexo, bebidas, e uma boa dose de música pop. Ao mesmo tempo em que assiste a crise no Jornalismo e da Política, presencia de camarote o futebol brasileiro levar para casa os 7 a 1 da Alemanha.

Com uma linguagem acelerada recheada de referências a cultura pop, ao cinema e a internet, o romance de Carlos Messias expõe a fragilidade e liquidez de relacionamentos supérfluos movidos por aplicativos como o Tinder. Ao mesmo tempo em que serve de prefácio para a crise política e ideológica do pais.

Carlos Messias nasceu em são Paulo, em 1982. Mestre em literatura e crítica literária pela PUC-SP, é escritor, jornalista, tradutor e roteirista. Foi editor de customizadas da Trip, editor das revistas Billboard e VIP, redator da Folha de S. Paulo e da revista MTV. Traduziu para o português o livro The Sick Bag Song, de Nick Cave, pela editora Terreno Estranho.


 

Anteriores Charge do Dia
Próximo THE EXPLORERS CLUB | S/T (2020)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *