ANGEL OLSEN – ALL MIRRORS (2019)



“All Mirrors é onde todo o talento de Angel Olsen e sua carreira em ascensão estão refletidos.”

Em 2011, com o lançamento de Half Way Home, a cantora americana Angel Olsen passou a ser um dos nomes mais promissores dessa década. O fato foi sendo comprovado com outros discos igualmente interessantes: Burn Your Fire For No Witness (2014) e My Woman (2016).

Olsen começou sua carreira executando um indie-folk e gradualmente foi ampliando sua sonoridade buscando outras paisagens como garage-rock e o clássico. O quarto álbum chega e a cantora deixa transparente toda sua transformação, experiência adquirida e segurança do que está fazendo.

A característica forte de All Mirrors é a produção esmerada e a quantidade absurda de instrumentos: cellos, violas, sintetizadores, violinos, harpas. Olsen trabalha ao lado de uma orquestra que conta com 14 componentes, ou seja, realmente a artista valoriza não apenas sua poesia e os vocais, bem como os arranjos.

Com uma abertura que causa impacto, “Lark” se inicia quieta e após alguns instantes entrega a voz explosiva de Olsen envolta num instrumental com destaque para a densa percussão. O baixo pesado que se confronta com um violino que se irrompe abruptamente dá o clima sombrio de “New Love Cassette”. “Too Easy” e “Spring” chegam com melodias bem açucaradas e de teor pop, bem fáceis de assoviar e também parecem inspiradas na sonoridade vintage. “What It Is” é o casamento perfeito entre rock e música clássica e ainda ganha mais substância ao inserir efeitos de sintetizadores.

Mesmo que para o final do álbum a melancolia e a sonoridade clássica reinem mais soberanas (“Endgame” e “Chance”), esse é um disco que não tem vergonha de passar por distintos espaços musicais e prova que as raízes e influências da cantora são bem variadas e nunca limitadas. Rock, clássico, folk, garage, vintage: isso tudo um dia passou a conviver bem e Angel Olsen é um dos nomes responsáveis por essa façanha.

NOTA: 8,0


NOTA DOS REDATORES:
Eduardo Juliano:
Isaac Lima:
Luciano Ferreira:

MÉDIA: 8,0


::LEIA TAMBÉM:
GOLDEN FABLE – ALCHEMY (2019)
DRONEFLOWER – DRONEFLOWER (2019)


::FAIXAS:
01. Lark
02. All Mirrors
03. Too Easy
04. New Love Cassette
05. Spring
06. What It Is
07. Impasse
08. Tonight
09. Summer
10. Endgame
11. Chance
::

::Mais Informações: Facebook/Site Oficial


::Ouça “All Mirrors”:

Anteriores GUACAMELEE! 2 (2018)
Próximo DIVALDO - O Mensageiro da Paz (2019)