Novaiorquinos, The Strokes e Basquiat “se encontram” em ‘The New Abnormal’


Foto de Basquiat para texto sobre The New Abnormal, do The Strokes

Com o aumento crescente da procura pelo formato vinil nos últimos anos, o cuidado maior com a arte da capa dos álbuns parece ter tomado um outro rumo, algo que parecia um tanto esquecido desde o advento do CD na década de 80. Artistas e designers tem demonstrado um maior cuidado em relação a essa parte tão essencial do disco, que andou um tanto relegada por algumas décadas, salvo raras exceções.

A capa de The New Abnormal (2020), álbum que marca o retorno dos Strokes após certo período afastado dos discos, é um dos exemplos de arte de capa que indica ter sido pensada para o formato vinil. Por que? A capa utiliza parte do famoso quadro ‘Bird on Money’ (pássaro sobre o dinheiro), de Jean-Michel Basquiat (1960-1988), datado de 1981.

A arte de capa do álbum utiliza como figura central justamente o pássaro, representando o músico Charlie Parker. A pintura é uma homenagem ao músico, apelidado de “Bird”, e um dos artistas preferidos de Basquiat, que era fascinado pelo Jazz. À direita do pássaro, a frase “PARA MORIR” (Para morrer, em espanhol), e à esquerda “GREEN WOOD”, nome de um cemitério de Nova Iorque, local onde Basquiat seria enterrado alguns anos depois.

Devido às dimensões e também às limitações do característico formato 4X4, parte da pintura ficou de fora na capa. Mas o encarte do álbum traz a pintura completa, num trabalho gráfico primoroso e que revigora o conceito gráfico do formato vinil.

A obra original utiliza acrílico e óleo sobre tela e mede 1,70 mt × 2,30 mt (66 pol x 90 pol.) e está associada ao movimento Neoexpressionista, do qual Basquiat é considerado um dos grandes ícones. O Neoexpressionismo foi um movimento artístico que surgiu na Alemanha, no final da década de 1970, e que retomava alguns elementos do Expressionismo.  As principais características são temas que ressaltam as emoções, pinturas figurativas de grandes dimensões, certa rapidez na finalização das obras, oposição ao estilo convencional, uso de cores agressivas e contestação política, com marcas da realidade.

Birds on Money, de Basquiat

Bad Painting (pintura ruim) foi o termo utilizado nos Estados Unidos para obras de artistas como Basquiat, Julian Schnabel e outros, e designava produções que primavam pelo “mau gosto”. Eram obras que questionavam os estilos antigos e que buscavam provocar e ir contra o chamado “bom gosto”. São marcadas pela crueza, mas cheias de expressividade. À época repudiados pelos academicistas, ganhou reconhecimento a partir dos anos 2000.

Basquiat nasceu no Brooklyn, Nova York. Sua inclinação para as artes começou desde criança. Em 1976, iniciou uma colaboração o amigo Al Diaz e começaram a grafitar em prédios, assinando com o pseudônimo SAMO (“Same Old Shit”). Foi somente em 1980 que começou a ganhar notoriedade e teve sua primeira exibição pública. Basquiat foi do trabalho com grafite e da Street Art para as pinturas em tela, sempre trazendo embutidas em suas obras contestação política e crítica social. O período de 1982 a 1985 é considerado o seu mais criativo. Seu vício em drogas, principalmente após a morte de Andy Warhol, em 1987 – com quem manteve uma relação de amizade e parceria -, se tornou cada vez maior. Basquiat morreu em 1988, vítima de overdose.

Apesar de sua carreira relativamente curta, Basquiat produziu obras expressivas que ganharam notoriedade e respeito ao longo dos anos, e tem sido vendidas por incríveis milhões de dólares, algo que o artista jamais tivesse imaginado. “Untitled”, por exemplo, é uma de suas obras mais caras, foi vendida em maio de 2017 por US$ 110,5 milhões .

+++ Leia a Crítica do Documentário The Velvet Underground, de Todd Haynes

Em 1996, o artista teve sua vida retratada no filme Basquiat, Traços de uma Vida, de Julian Schnabel, que tem no elenco a presença de David Bowie, outra grande influência para o artista. Há em andamento a produção de um outro longa que pretende contar a vida desse artista atormentado, genial  e contestador sob um outro prisma.

Falando sobre a arte da capa de The New Abnormal, em entrevista, o vocalista Julian Casablancas comentou que costumava usar pinturas de Basquiat para capa de fitas demo por se identificar com o estilo “do it yourself” que emanava das pinturas, e que quando o empresário da banda perguntou sobre a capa do novo álbum, ele sugeriu que utilizassem alguma pintura de Basquiat. Dez obras foram selecionadas e, em consenso, a banda optou por Bird on Money.

**MAIS SOBRE A OBRA DE BASQUIAT, NESSE SITE.


DOCUMENTÁRIO SOBRE BASQUIAT COM LEGENDAS EM PORTUGÊS:

Anteriores SHOEGAZER WORLD #8 | Tudo indica mais um grande ano para o Shoegaze
Próximo Brian Eno, o Da Vinci da era contemporânea?

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *