THE SOFT CAVALRY – The Soft Cavalry (Bella Union, 2019)


Foto de Rachel Goswell e Steve Clarke para resenha do álbum The Soft Cavalry

“The Soft Cavalry é o resultado da união de dois artistas criativos afetados pela paixão de fazer música.”

Para músicos tão ilimitados e versáteis como Rachel Goswell, todo ouvinte sempre espera ouvir algo cada vez mais arrebatador, muitas vezes que fuja em parte de sua trajetória musical. Criatividade e mutabilidade artística são características comuns a eles, então qualquer trabalho recente sempre gera uma curiosidade. Rachel tem o Slowdive como sua casa, porém está habituada a escapar e experimentar novos ambientes. Minor Victories e Mojave 3 são lugarejos onde a cantora também se sentiu em casa, não obstante, volta e meia surge como hóspede de outras moradas, pois também recentemente colaborou em trabalhos dos grupos American Football, Mercury Rev e Beach Fossils.

O guitarrista Steve Clarke, por sua vez, esteve junto do Slowdive por um bom tempo. Foi um músico de apoio da banda durante essa década. Veio o casamento com Rachel Goswell e a ideia de criar o The Soft Cavalry tomou forma. Dito várias vezes em muitas resenhas, não basta ter talento, é preciso envolvimento com a música, e esse fator acaba sobrando no casal. A experiência de Rachel não apenas em sua banda como em todas as suas colaborações musicais traz tranquilidade ao álbum. Steve Clarke pode ser menos conhecido no cenário musical, contudo é a metade que combina, demonstra estar em sintonia e preparado para criar um trabalho apaixonado e virtuoso. Exímio na guitarra (“The Velvet Fog”), sua voz suave e quase sussurrada encaixa perfeitamente com o lado etéreo de Rachel (“Passerby”).

The Soft Cavalry precisa ser apreciado sem lembrar diretamente de Slowdive e Mojave 3, bandas principais de Rachel. Não que eles não tenham exercido uma influência para o disco da dupla, entretanto a vontade de experimentar outros gêneros e criar paisagens sonoras múltiplas faz desse projeto algo instigante e com características próprias.

Gêneros se fundem, nenhum deles é supremo no álbum. Se “Bulletproof” tem uma queda para o synth-pop, “Never Be Without You” é uma pérola digna de qualquer banda que faz Dream-Pop e até o Shoegaze pode dar as caras em “Home”. Sobra até para um clima 60’s em “Mountains”. Outras duas faixas merecem destaque: a melhor do disco, “Careless Sun”, pega carona no gênero lo-fi e o coloca numa dimensão sonora maior, com ênfase nas união de guitarras pesadas junto ao orquestrado, um caos sonoro que por vezes não queríamos o fim. “Spiders” por sua vez traz uma melodia claustrofóbica (de propósito), o violino é nervoso e a canção vem carregada de uma angústia apropriada para o ouvinte, explodindo nos instantes finais (só lembrando que muito das letras do casal falam de ansiedade, frustração e decepções).

The Soft Cavalry é um álbum com muitas qualidades, muitas delas percebidas com o tempo. Não será absorvido de primeira, a adoração não chegará num instante. A cada audição, novos detalhes encontrados. Para quem gosta de artistas que brincam com a indefinição de gêneros musicais, será muito bem apreciado. Igualmente para quem curte artistas que colocam paixão pela música, talento e criação em primeiro plano. E isso Rachel Goswell e Steve Clarke provaram ser capazes.

NOTA: 8,0


NOTA DOS REDATORES:
Eduardo Juliano:
Isaac Lima:
Luciano Ferreira:

MÉDIA: 8,0


::LEIA TAMBÉM:
KAREN O. AND DANGER MOUSE – LUX PRIMA (2019)
SLOWDIVE – SLOWDIVE (2017)


::FAIXAS:
01. Dive
02. Bulletproof
03. Passerby
04. The Velvet Fog
05. Never Be Without You
06. Only In Dreams
07. Careless Sun
08. Spiders
09. The Light That Shines
10. On Everyone
11. Home / 12. Mountains
13. The Ever Turning Wheel


:: Mais Informações: Bandcamp/Bella Union


:: Assista ao vídeo oficial de ‘’Dive”:

Anteriores GRUFF RHYS :: Músico anuncia lançamento de Pang!
Próximo ERICKSON GRILLO – Trilhando (Frika Records, 2019)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado.