MEDIEVIL | 2019


Medievil, imagem do jogo

“Antes tarde do que nunca, remake de Medievil traz o desengonçado e carismático Sir Daniel Fortesque em boa forma para os dias atuais”

Em 1998, Medievil, jogo exclusivo da Sony, era lançado para o Playstation 1. Isso para a Europa e América do Norte. No Japão o jogo chegaria em 1999. Infelizmente, Medievil foi uma franquia não muito incentivada pela Sony, com apenas dois jogos lançados (a segunda parte viria em 2000 com o mesmo brilho), apesar de que em 2005 o jogo ganharia uma versão para o portátil PSP (Medievil: Ressurrection), mas que não recebeu tanta atenção devida. Outros jogos que foram exclusivos do console como Crash Bandicoot, Sly Cooper, Spyro The Dragon e Ratchet And Clank conseguiram chegar em suas trilogias, mais do que isso, seguiram adiante nos consoles da Sony que vieram depois, do PS2 até o PS4.

Nessa onda de remakes que estão dando certo e rendendo bons lucros para as produtoras e deixando jogadores nostálgicos felizes, Medievil é mais um jogo que chega com esse pensamento. Entretanto, como ideia de remake, não há todo um poderio como aconteceu com os recentes remakes das trilogias de Crash Bandicoot e Spyro The Dragon.

Jogos que saem hoje precisam ser dinâmicos e nesse aspecto existem algumas falhas no jogo. Medievil deveria ter recebido uma mecânica de jogo mais ágil e moderna, apesar do jogo ter preservado bastante a jogabilidade da versão antiga. Entretanto, como o jogo oferece quase 20 armas, faltou a habitual roda de armas para escolhas rápidas e que não tirassem o clímax da jogada com pausas incessantes. Da mesma forma, armas arremessáveis como adagas e flechas poderiam ter um sistema de mira pois muitas vezes parece que estamos arremessando e não acertando os inimigos.

Calma, amigos leitores e jogadores, existe sim o lado bom, e ele pesa muito mais em relação a possíveis falhas e lacunas. A empresa californiana Other Ocean destacou bem o jogo em alguns quesitos como gráficos polidos e interface mais vistosa, interessante ver o novo aspecto que a barra e os vidros adicionais de sangue do personagem receberam.

A desenvolvedora manteve a aparência das fases e a posição de itens pelos cenários como no jogo antigo. Pontes, vilas, cemitério, cercas, tubos de sangue, runas, inimigos: tudo permanece intacto, em seus devidos lugares, porém com uma roupagem mais colorida, moderna e viva. Sacie a nostalgia de passar por cada fase relembrando tudo numa cópia fiel, porém no conforto e na tecnologia dos dias atuais com mais polidez no que é visto.

O jeito desengonçado de nosso querido cavaleiro Sir Daniel Fortesque também foi mantido o que talvez, a início, incomode a geração mais nova, sobretudo em fases onde pulos calculados são exigidos e os cenários propiciam quedas constantes. Nada que o jogador não se acostume logo com os controles.

O humor, um dos pontos altos do jogo, também confere a autenticidade do jogo: o inimigo atingido por uma coxa de galinha explosiva que vira um frango assado, o braço de Fortesque que se desprende do corpo servindo de arma oportuna e algumas cenas divertidas em CG onde podemos acompanhar a história do cavaleiro.

Terminando o jogo, ainda há opção de coletar todos os 20 cálices (caso algum tenha faltado) e outra novidade do remake é passar novamente pelo jogo atrás de almas perdidas espalhadas pelas fases executando as missões bizarras que elas desejam em determinados cenários (novamente sobra humor aqui). Coletando tudo, o jogador abre a opção de jogar o clássico jogo do PS1. Para muitos, um belo presente. Uma boa idéia da produtora que nesse ponto planejou bem a proposta de replay do jogo.

Quem sabe agora pode surgir o terceiro jogo para deixar esse cavaleiro esquelético numa posição mais lembrada entre os grandes ícones que a história dos videogames deixou como herança.

>>>NOTA: 7.5<<<


LEIA TAMBÉM:

RESENHA: CANDLEMAN (Candleman, 2018)
RESENHA:GUACAMELEE! 2 (2018)


:: FICHA TÉCNICA:

Desenvolvedora: Other Ocean
Publicado por: Sony Interactive Entertainment Of America
Gêneros: Ação, Horror, Plataforma 3D
Duração: 10 a 20 horas pra fazer 100%
Classificação: Livre
Espaço de armazenamento no HD: 39Gb
Preço: R$119,90 na PSN (costuma ficar em promoção com 60% de desconto)
Plataforma: PS4
Lançamento: 25 de Outubro/2019
Mais Informações: Medievil

 


:: Assista ao trailer do jogo:

Anteriores THURSTON MOORE | Tudo sobre 'By the Fire' e novo single :: OUÇA
Próximo PIXIES | Nos 30 anos de 'Bossanova', álbum ganhará edição especial

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *