SEX EDUCATION | Segunda Temporada


Cena da segunda temporada de Sex Education

As aventuras sexuais dos adolescentes continuam em ritmo acelerado, trazendo risadas constantes nesta rara e magnífica comédia que é boa para o coração e para a alma

Perambulando pela nova cidade em que moro, deparo-me com um cartaz: em letras maiúsculas CHUCA, na foto uma jovem com um grande cabelo preso pelos vários artefatos, abaixo da foto a mensagem “Isso é falta de SEX EDUCATION”. Enfim, tratava-se da segunda temporada de uma das melhores séries lançadas pela Netflix no ano passado. Em sua segunda temporada, Sex Education vem acompanhada de uma propaganda mais agressiva, algo que faltou em seu lançamento, já que o boca a boca foi o que impulsionou o seu sucesso.

Com personagens cativantes e multidimensionais, um bom elenco de atores jovens e alguns veteranos (como a excelente Gillian Anderson), e acima de tudo um roteiro que não despreza a inteligência do expectador, a história do adolescente Otis Milburn, e sua clínica de conselhos sexuais é muito mais que uma comédia sobre adolescentes que só pensam em sexo, mas um drama com pitadas de comédia que trata das dores e angústias da adolescência. E mais, passeia por temas como homossexualidade, drogas, bullying (cyberbullying), inadequação, descoberta do corpo, entre outros, de forma leve e sem tabus.

Cena da segunda temporada de Sex Education

A segunda temporada tem início no retorno as aulas no colégio Moordale. Otis e Maeve tem que lidar com as consequências do ano anterior. A fama de terapeuta adolescente aumentou entre os alunos, o que fez com que o jovem Otis desenvolvesse um certo pedantismo. Mesmo nunca tendo feito sexo, Otis adquiriu certo ar de superioridade, já que consegue solucionar os problemas sexuais dos jovens ao seu redor, o que traz uma nova abordagem para o personagem e influencia tanto nas suas relações pessoais quanto familiares.

Com uma histeria coletiva no colégio devido ao aparecimento de uma DST, a Direção é obrigada a tomar medidas que tragam algum “conforto” para alunos e professores. Há o absurdo, por exemplo, de alguns aparecerem com máscaras respiratórias. Jean, a mãe de Otis, é então contratada para entender e resolver a situação. A partir daí, a relação entre Otis e a mãe entra em choque por ele sentir-se sufocado e acreditar que seus negócios podem ser atrapalhados pela presença dela escola.

Nessa temporada, a série gira em torno da dupla Jean e Otis. A relação entre mãe e filho, que deveria ser baseada em cumplicidade, vai sendo desgastada também por ela começar a namorar com o sogro do filho, além de atitudes cometidas pelo garoto.

Asa Butterfield vai evoluindo no papel de Otis e desenvolvendo novas camadas do personagem. Muitas não combinam com a pessoa que ele era na primeira temporada, pode não ser positiva em sua apresentação, mas ganha muito em termos de atuação. A todo momento ele se questiona se não está se tornando um “asshole” (cuzão, babaca), assim como o pai. Um dos vários pontos altos é justamente os diálogos com os pais, que traz grande emotividade em dois momentos.

Diferentemente de Otis, Maeve tem um dos melhores arcos da temporada. Em companhia da mãe, a personagem deixa o tom sisudo da temporada anterior e se torna mais introspectiva, com mais emotividade, não escondendo o que sente. Incrível o trabalho da atriz com os olhos para representar o curso de seu raciocínio e observação. Por sua vez, Eric continua sendo um personagem complexo, muito mais adulto que na temporada passada, e mais comedido em seus atos. Sua amizade com Otis surge mais firme.

Gillian Anderson segue excelente no papael da mãe de Otis, novamente esbanjando talento em sua atuação. Ela continua tentando ter o controle sobre o filho. Não quer enxergar que o filho está crescendo e em uma nova fase da vida. O elenco de apoio tem a adição de novos atores, com mais  presença de cena de Ola (Patricia Allison) e o surgimento de um novo aluno na escola, Rahim (Sami Outalbali), que surge para abalar as estruturas da escola. Outro personagem que tem um grande arco nessa temporada é Jackson (Kedar Williams-Stirling) que ganha novos contornos.

A fotografia segue muito bela. O uso da câmera utiliza bastante planos abertos, principalmente para mostrar a escola. A trilha também não decepciona, traz belas músicas para retratar as angustias dos personagens, principalmente os jovens e suas atitudes inconsequentes. Ezra Furman, T. Rex e Roxy Music, Air, Velvet Underground e muitos outros estão presentes na trilha sonora (PLAYLIST ABAIXO).

Cena da segunda temporada de Sex Education

Por sinal, a referência aos anos 80 surge através da citação ao filme Clube dos Cinco (The Breakfast Club, 1985), que ganha belíssima homenagem, que trará consequências e desdobramentos que resultarão numa das cenas mais tocantes da série.

Sex Education, nesta segunda temporada, oferece um programa mais que obrigatório para jovens e adultos que não se sentem à vontade para dialogar sobre os temas abordados. Consegue evoluir dentro de uma premissa que já se apresentava excelente. Deve ser encarada de forma leve e sem tabus, afinal sexo não deve e nem precisa ser assunto que cause pânico entre as pessoas.

PS: Sobre o cartaz citado no primeiro parágrafo do texto, a grande sacada da publicidade foi brincar com o termo Chuca, nome daqueles prendedores de cabelo, inclusive usado no cartaz, e também do procedimento feito para limpar o canal anal antes do sexo anal, que é explicado por Rahim a Otis e Eric em um dos episódios.

NOTA: 8.9


NOTA DOS REDATORES:

EDUARDO JULIANO: –
EDUARDO SALVALAIO: –
LUCIANO FERREIRA: –
MARCELLO ALMEIDA: –

MÉDIA: 8,9


LEIA TAMBÉM:

RESENHA: SEX EDUCATION (SEX EDUCATION, 2019)
RESENHA: AMOR MODERNO (MODERN LOVE, 2019 Primeira Temporada)


:: FICHA TÉCNICA:

Emissora (EUA): Netflix
Temporadas: 2
Episódios totais: 16 (cada um com um tempo entre 46 a 52 minutos aproximadamente)
Criadores da série: Laurie Nunn
Produtor(es) executivo(s): Jon Jennings, Jamie Campbell, Ben Taylor
Elenco: Asa Butterfield, Gillian Anderson, Ncuti Gatwa, Emma Mackey, Connor Swindells, Kedar Williams-Stirling e outros.
Temáticas: Comedia, Drama
Avaliações: IMDB | Rotten Tomatoes

 

 


:: Ouça a Playlist com as músicas da série:


:: Assista ao trailer:

Anteriores ARES | Primeira Temporada
Próximo MÁRIO BROSS (WRY) | Discos que mudaram minha vida

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *