WILD BEASTS – Last Night All My Dreams Came True (2018)


“Álbum de despedida do Wild Beasts é o registro impreciso da trajetória discográfica da banda”

“Last Night All My Dreams Came True” é o álbum de despedida do quarteto de Kendall, Wild Beasts. Surgida no início dos anos 2000, a banda logo assinou com a gravadora Domino Records e despontou já com o seu primeiro álbum, “Limbo Panto”, como uma das boas promessas a serem observadas de perto. Não fizerem por menos, lançaram ao longo da carreira cinco álbuns interessantes, sendo “Two Dancers” (2009) o mais representativo e consistente, inclusive conseguindo a indicação ao Mercury Prize de 2010.

Dava pra perceber que algo estava diferente com a banda desde “Boy King” (2016), onde o uso de sintetizadores manteve-se em alta, de uma forma um pouco mais contida. Não era algo novo, essa ênfase foi iniciada em “Smother” (2011) e prosseguiu e em “Present Tense” (2014) de forma mais intensa, com resultados variando entre canções memoráveis e outras repetitivas e de pouco agrado. O que se percebe é que a banda foi se perdendo ao longo do caminho, deixando de lado o que parecia ser sua essência, subtraindo dos arranjos aquilo que sempre soou como qualidades na sua música: o cuidado na construção instrumental, a capacidade de trazer algo surpreendente e diferente em relação ao feito anteriormente, aliado ao bom jogo de vozes de Hayden Thorpe e Tom Fleming. Sem falar nos dedilhados de guitarra, algo tão marcante em seus primeiros álbuns.

Por outro lado,“Boy King” permitiu que alcançassem sua melhor posição nas paradas inglesas, mesmo um álbum irregular e sem uma canção marcante. Mesmo que a banda tenha perdido um percentual enorme daquilo que dava encanto as suas canções.

Ao longo de seus últimos quatro álbuns pode-se traçar um gráfico em descendente, com ‘Two Dancers’ seu momento mais elevado

Então, de alguma forma, não foi surpresa anunciarem em setembro do ano passado que a banda encerraria suas atividades. Havia algo de errado com a banda já de algum tempo, e isso se refletia nas composições. Talvez mais surpreendente mesmo tenha sido anunciarem o fim com o lançamento de um último EP, o pouco empolgante “Punk Drunk & Trembling” (2017) e desse “Last Night All My Dreams Came True”, composto de versões para canções de seus diversos álbuns, espécie de “ao vivo de estúdio”, que acaba não acrescentando muito ao currículo da banda.

Formado em grande parte por canções de “Boy King”, seis num total de treze, justamente o álbum menos consistente da banda. Com a edição “Last Night All My Dreams Came True” (Live at RAK) o Wild Beasts deixa passar a oportunidade de resgatar, inclusive para que não conhece os primeiros trabalhos do quarteto, momentos marcantes de sua carreira via canções presentes nos primeiros álbuns. Quando olham para o passado, misturam a ótima “Devil’s Crayon” (de “Limbo Panto”) com “The Palace” (de “Present Tense”), resultando numa faixa que não faz jus a nenhuma das citadas e nada acrescenta à coletânea. Melhor seria que a banda misturasse alguns hits de seus álbuns com b-sides. Mas parece que a ideia foi deixar o passado um pouco de lado e investir no “momento atual”.

O resultado é um álbum até interessante, que apesar de não reunir várias canções emblemáticas, traça um panorama impreciso da trajetória da banda, ganhado mais vibração justamente nas faixas mais antigas, quando ainda havia algo de teatral de melodrama em sua música, seja em “Bed of Nails”, “Hooting and Howling”, “This is Our Lot” ou “All King’s Men”, algo que a banda foi abandonando deliberadamente e que foi um dos pontos de atração para muitos quando debutaram com o histriônico “Limbo Panto”. Ao mesmo tempo, por se tratar de um registro gravado ao vivo, mostra o quão afiados eram como músicos.

NOTA: 6,0

________________________

:: FAIXAS:
01. Wanderlust
02. Big Cat
03. A Simple Beautiful Truth
04. 2BU
05. Bed Of Nails
06. Hooting & Howling
07. This Is Our Lot
08. Colossus
09. The Devil’s Palace
10. Alpha Female
11. Get My Bang
12. All The King’s Men
13. Celestial Creatures

________________________

:: Assista abaixo ao videoclipe de “All The King’s Men” ao vivo no RAK:

Anteriores MOBY – Everything Was Beautiful, And Nothing Hurt (2018)
Próximo DAVID BYRNE – American Utopia (2018)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado.