Jonathan Bree e a obsessão pela suntuosidade em canções pop


Jonathan Bree

Durante anos o músico Jonathan Bree foi “apenas” o fundador e vocalista da banda Indie e Twee-Pop neo-zelandesa The Brunettes juntamente com a vocalista e musicista Heather Mansfield, tendo lançado com o grupo vários álbuns e EP’s entre o final dos anos noventa e o início da década de 10.

Em 2002, juntamente com o amigo Scott Mannion, da banda The Tokey Tones, resolveu criar o selo Lil’ Chief Records, que passou a lançar tanto os trabalhos de sua banda quanto de outros artistas, e que viria a lançar também seus álbuns solo.

Com The Primrose Path (2013), Bree deu início a sua carreira solo. Os arranjos adocicados comuns nas canções de sua banda deram lugar a uma sonoridade mais grandiosa, que incorpora uma série de novos instrumentos, principalmente elementos orquestrados, naquilo que alguns chamarão de Chamber-Pop.

As canções se tornaram soturnas, climáticas. O uso dos elementos orquestrados deram um quê de trilha sonora para filmes noir, por exemplo. A mudança musica seguiu acompanhada na maneira de cantar, o vocalista assumiu uma postura de crooner, com a vocalização mais grave e monocórdica, aproximando-se de nomes como Leonard Cohen, Scott Walker e Serge Gainsbourg.

Só em 2017 é que as coisas “começaram a acontecer” para o músico, que viu o vídeo do single “You’re So Cool” (logo abaixo) estourar no Youtube – atualmente com mais de dezoito milhões de visualizações. No vídeo em preto e branco, tanto o músico quanto os dançarinos e banda aparecem de máscara, algo que desde 2015 havia se tornado a marca registrada do músico. O uso da máscara é como uma carta de intenções.

DISCOGRAFIA:

Numa época tão obcecada com as imagens, Jonathan Bree, que em entrevista expressou o desejo de tocar na America do Sul, esconde seu rosto deixando sua música ser o centro das atenções, embora o clima de mistério também possa gerar atração. Outro detalhe é que o músico evita falar em entrevistas. Inclusive é possível encontrar essas supostas entrevistas em que ele não responde absolutamente nada.

“You’re So Cool” entrou no terceiro álbum solo, Sleepwalking (2018), um refinamento de seus antecessores e seu melhor trabalho, que traz a estonteante “Roller Disco” e a envolvente “Say You Love Me Too”, em que ele faz um dueto com Clara Viñals. As participações femininas são novidades no álbum, interessantes por darem um espectro maior para o pop sofisticado do artista. O álbum traz ainda participações das vocalistas Princess Chelsea, com quem o músico trabalhou no The Brunettes, e Crystal Choi.

After the Curtains Close (2020) é o seu mais novo trabalho, e segue quase à risca a cartilha do seu antecessor em diversos aspectos, incluindo as participações femininas, que dessa vez inclui a vocalista Britta Phillips (Luna, Dean & Britta). Não há novidades, Bree segue na sua quase obsessão por canções pop suntuosas que embora faça uso de uma produção moderna, carrega elementos que remetem inevitavelmente ao passado de umas seis décadas atrás, pelo menos. A abertura com “Happy Daze” junto com as acachapantes “Waiting on a Moment” e “In The Sunshine”, mostram que o “homem sem rosto” sempre parece ter uma carta na manga.

Detalhe, todos os trabalhos de Jonathan Bree estão disponíveis em sua página no Bandcamp.


O VÍDEO DE “YOU’RE SO COOL”:

Anteriores 'Maudie' e a história real de uma pintora na superação do abandono e das limitações físicas
Próximo "Today & Everyday" antecipa lançamento do novo álbum do Motorama :: OUÇA

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *