HIS DARK MATERIALS: FRONTEIRAS DO UNIVERSO | 2019


Cena da série His Dark Materials

“Série captura toda essência da trilogia de Philip Pullman”

His Dark Materials é uma série literária de fantasia e ficção cientifica, conhecida no Brasil como As Fronteiras do Universo, composta pelos livros: A Bússola de Ouro (1995), A Faca Sutil (1997) e A Luneta Âmbar (2000), criação do escritor britânico Phillip Pullman. Detentor de vários prêmios literários desde os primórdios como escritor, Pullman é considerado um dos grandes escritores ingleses, prestígio que veio com o lançamento do primeiro livro da trilogia A Bússola de Ouro.

O nome original da série, His Dark Materials (Seus Materiais Obscuros, em tradução livre), tem origem no poema épico Paraíso Perdido, de John Milton, obra que também inspirou o enredo da trilogia, considerada por muitos como uma obra-prima moderna da ficção imaginativa. A história envolve elementos fantasiosos, como feiticeiras, Daemons, ursos polares falantes e conceitos que envolvem ideias de ampla gama de campos, como Física, Filosofia e Teologia. Faz uma reinterpretação do tema da queda da humanidade, portanto sendo alvo de várias polêmicas e controvérsias por conta de seus aspectos críticos a religião.

Em 2007, a trilogia ganhou as telas do cinema com o filme A Bússola de Ouro, com produção do próprio escritor que ficou também na função de roteirista. Devido a várias divergências na pré produção, e pesados boicotes do Vaticano e de suas igrejas, Pullman acabou abandonando o projeto por não aceitar uma certa mutilação de sua obra. O filme que chegou aos cinemas se mostrou bastante bagunçado e com uma história sem pé nem cabeça, o que fez com que o projeto ficasse engavetado durante muito tempo. Nem a presença de atores consagrados como Ian Mckellen e Nicole Kidman e de prestígio como Daniel Craig segurou o filme.

Anos depois, a HBO, em conjunto com a BBC One, adquiriu os direitos de produção para outra mídia, que convocou o próprio Phillip Pullman para roteirizar a série juntamente com Jack Thorne roteirista de This is England (2006) e Extraordinário (2017). Debruçados no material original, os roteiristas começaram a escrever um total oito episódios, e entregaram uma série bem eficiente. Não li o livro, então ficaria difícil dizer como foi a adaptação, mas o material apresentado mostra grande competência para a telinha.

His DArk Materials, cena da série

Na primeira temporada, Lyra Belacqua (Dafne Keen), uma jovem aparentemente comum, mas corajosa e de outro mundo, busca por um amigo sequestrado, o que faz com que ela descubra uma trama sinistra envolvendo crianças roubadas, e um mistério envolvendo uma substancia chamada Pó (Dust). A partir daí, somos apresentados ao Magisterium, uma espécie de instituição religiosa que controla todo o mundo ocidental e provavelmente o oriental também. O controle ocorre inclusive nas Universidades, pólos de conhecimento.

Algo que se percebe na série é que o poder dessas instituições está concentrado nas mãos de homens. Não se vê mulheres nesses ambientes de poder, com exceção de uma única mulher transitando entre esses círculos, a poderosa e misteriosa Miss Coulter, vivida com imponência por Ruth Wilson, da qual não se sabe quais as reais intenções.

Dafnee Keen interpreta Lyra Belaqua. A atriz surgiu no derradeiro filme de Wolverine como a filha de Logan. Aqui ela surge representando uma personagem que seguirá a “Jornada do Herói”, de Joseph Campbell, para contar sua história de crescimento e aceitação de sua condição. Sua Jornada consiste na Partida, com o herói aspirando à sua jornada; a Iniciação, contendo as várias aventuras do herói ao longo de seu caminho; e o Retorno, que é o momento em que o herói volta a casa com o conhecimento e os poderes que adquiriu.

A primeira parte, a da Partida, tem início quando Lyra é jogada para esse novo mundo que ela não imaginava que existisse. A personagem sempre se mostrou muito segura de si, e essa personalidade só vai crescendo até chegar ao clímax do último episodio da temporada.

Temos também Lucian Msamati como John Faa líder dos Gípcios, James Cosmo como Farder Coram uma espécie de conselheiro de Lyra e Anne-Marie Duff como Ma Costa, como a pessoa que funciona como elo materno de Lyra. Os três fazem parte dos povos Gípcios, povos que vivem livres do domínio do Magisterium. E ainda temos Ruta Gedmintas, como Serafina Pekkala, líder das feiticeiras.

Assim como no livro, ele se situa em um lugar que podemos chamar de multiverso. A história se passa num mundo onde existem bastante semelhanças como o nosso mundo, e que lembra muito a era Vitoriana. Nesse período da história a tecnologia não havia evoluído ao ponto de se ter automóveis ou até mesmo aviões, o que vemos durante a série é a presença constante de zepelins como um meio de transporte. Tais características são observadas na composição das vestimentas das personagens, dos locais, das ruas, percebe-se o cuidado para retratar essa ambientação.

Mesmo não tendo um avanço tecnológico como nos tempos atuais, ressalta-se que no mundo de Lyra tem-se conhecimento avançado tanto da metafísica, como da física quântica. Ou seja, um mundo evoluído ao seu modo! A fotografia sempre muito bela, consegue retratar bem esses ambientes e esses destaques que dão veracidade aquele mundo, sempre distinguindo os diferentes locais/lugares por onde Lyra percorre suas aventuras. A trilha sonora consegue ser épica e ao mesmo tempo sombria, a depender do que estiver acontecendo em cena, sempre presente, cumprindo seu papel corretamente.

His Dark Materials, cena série

Outro aspecto interessante na história de His Dark Materials, se dá pelo conceito dos Daemons. Considerando que todo ser vivo é portador da alma, e sendo assim, os seus instintos, emoções, sentimentos, a sua alma o ajuda lidar com todas as situações pelos quais os humanos passam, é o conceito da essência da vida. No mundo de Lyra, essa alma é representada por um Daemon, e tal representação funciona como se fosse a consciência de cada ser humano daquele mundo. Esse Daemon não tem uma forma definida até chegar a adolescência que é o momento em que a pessoa começa a ter consciência de seus atos e de como se posiciona no mundo, daí o momento da fixação de seu Daemon. É bastante interessante como os Daemons refletem as personalidades de seus portadores. Animais livres como as águias, lobos, são os daemons dos Gípcios, pois são povos livres, pessoas de poder tem Daemos poderosos como tigres, leões, e pessoas submissas tem animais que se comportam como submissos, os cães representam bem essa característica desse universo, um conceito utilizado com bastante eficiência. É de impressionar como se dá a interação dos Daemons com seus portadores, sentindo todas emoções que seus portadores sentem!

His Dark Materials pode não ser a serie definitiva a substituir o Game of Thrones, mas tem força para se manter como um produto próprio, apresentando personagens interessantes, uma protagonista bem construída, e uma trama um tanto quanto “herege” que desafia o Status Quo de uma de uma das instituições do mundo. Não é pouca coisa!  A série tem méritos próprios, sem necessidade de se ancorar em nenhuma outra para conseguir seu sucesso.

A série já foi renovada para uma segunda temporada, e será dada continuidade ao próximo livro A Faca Sútil. Estava prevista para estrear ainda em 2020, mas não se sabe com toda essa confusão se será realmente lançada.

NOTA: 8.0


NOTA DOS REDATORES:
EDUARDO JULIANO: –
EDUARDO SALVALAIO: –
LUCIANO FERREIRA: –
MARCELLO ALMEIDA: –
MÉDIA: 8.0


LEIA TAMBÉM:

RESENHA: WATCHMEN | 2019
RESENHA: THE OUTSIDER | 2020


Poster da série His Dark Materials:: FICHA TÉCNICA:

Gênero: Aventura, Fantasia, Drama
Temporadas: 1 (oito episódios – segunda em pré-produção)
Duração: 60 min (média de cada episódio)
Direção: Jamie Childs, William McGregor, Otto Bathurst, Tom Hooper, Euros Lyn e Dawn Shadforth
Roteiro: Philip Pullman e Jack Thorne, baseado na trilogia de Philip Pullman
Elenco: Dafne Keen, Ruth Wilson, Lin-Manuel Miranda, James McAvoy, Georgina Campbell e outros.
Data de Lançamento: 04 de novembro de 2019
Censura: 16
Avaliações: IMDB | Rotten Tomatoes

 


:: Assista ao trailer:

Anteriores PORCELAIN RAFT | Come Rain
Próximo SHOEGAZER ALIVE #9 | The Know, Relay Tapes, Dazie, Blume & mais

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *