DEAD CAN DANCE :: Anuncia “Dionysus” sem Lisa Gerrard


:: Surgido no início dos anos 80, o duo australiano formado pelos vocalista Lisa Gerrard e Brendan Perry lançaram oito álbuns de estúdio ao longo da carreira, sendo “Anastasis” (2012) o seu derradeiro. Com uma sonoridade densa e envolta em climas misteriosos, reforçado pelas capas dos álbuns, logo foram tachados de góticos/ethereal/darkwave/pós-punk, mas com mudanças ao longo dos anos que os aproximaram primeiro da música medieval e, posteriormente, da world-music.

:: LEIA TAMBÉM: SPLEEN AND IDEAL (DEAD CAN DANCE, 1985)

:: “Dionysus” é o segundo álbum após o retorno da banda às atividades em 2011, marca o retorno do DCD após um hiato de seis anos e vem com uma ausência enorme, Lisa Gerrard, os outros cinquenta por cento do duo, não participa das canções. A data prevista para lançamento é 02 de novembro (dia de finados).

:: O álbum foi criado por ao longo de dois anos e é dividido em sete movimentos, que representam diferentes facetas do mito de Dionísio e seu culto. Para as gravações, Perry, como de costume, utilizou nas composições instrumentos pouco convencionais na música pop como o DAF (tambor iraniano) e a Fujara (flauta originária da Eslováquia). A arte da capa utiliza a foto de uma máscara feita pelos Huichol, grupo indígena do México.

:::

:: FAIXAS:
ATO I
01. Sea Borne
02. Liberator of Minds
03. Dance of the Bacchantes
ATO II
04. The Mountain
05. The Invocation
06. The Forest
07. Psychopomp

:::

:: Assista abaixo a performance de “Children of the Sun”:

Previous SLENDER MAN: PESADELO SEM ROSTO (Slender Man, 2018)
Next GUNS, GORE & CANNOLI 2 (2018)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *