SLENDER MAN: PESADELO SEM ROSTO (Slender Man, 2018)


“Filme de terror baseado em lenda intrigante da internet é um verdadeiro exemplo de como decisões erradas podem desperdiçar um grande potencial”

Slender Man é uma personagem que surgiu em um conto de terror bizarro publicado em 2009 na internet, e que logo se espalhou como uma lenda urbana, sobre um homem de terno, alto e esguio, pálido e sem rosto, que perseguia crianças e adolescentes. A lenda infelizmente teve repercussões no mundo real, em 2014 duas adolescentes levaram uma colega de classe para uma floresta e a esfaquearam dezenove vezes, ambas se diziam influenciadas por pesadelos com o Slender Man, e obviamente foram condenadas a cumprir pena em sanatório. Esse fato é esmiuçado brilhantemente pelo documentário “Cuidado com o Slender Man”, produzido pela HBO em 2017.

:: LEIA TAMBÉM: SOBRENATURAL: A ÚLTIMA CHAVE

Eis que, quatro anos após essa tragédia, surge nos cinemas um filme que não só desrespeita a fatalidade citada, como desrespeita a inteligência do espectador com um roteiro mal construído e repleto de clichês e jump scares que testam a paciência e até a própria lógica.

O filme é dirigido pessimamente por Sylvian White, muito experiente dirigindo episódios avulsos de séries diversas. Aqui ele leva para o cinema toda a expertise adquirida na TV, mas produzindo um filme extremamente fragmentado, que mais parece uma colagem de diversas situações desconexas, algumas até feitas com certa competência no que diz respeito a criação de clima, mas todas desastrosas em sua execução.

Cenas que deveriam assustar se tornam motivo para risos, tamanha a incapacidade do diretor.

Na história, quatro colegiais entediadas, em busca de novas aventuras e sem nada melhor para fazer, decidem ver um vídeo na internet que promete apresentá-las pessoalmente ao misterioso Slender Man. A partir daí, todas passam a ser atormentadas pelas visões nada assustadoras da criatura, até que uma delas desaparece na floresta e as demais tentam resgatá-la, pretendendo fazer uma barganha sem sentido com a tal criatura, que chega ao cúmulo de fazer ligações de vídeo para as vítimas enquanto invade suas respectivas residências.

Com uma fotografia exageradamente escura, atores e efeitos ruins, personagens estereotipados e rasos, “Slender Man: Pesadelo sem Rosto” é chato, aborrecido, desinteressante e ainda apresenta um trailer composto cerca de cinquenta por cento de cenas que não estão no filme. Até tenta convencer com seu clima de pesadelo, mas não passa de uma fantasia boba incapaz de assustar qualquer ser pensante.

:: NOTA: 3,0

:::

:: FICHA TÉCNICA:

Gênero: Terror, Mistério, Thriller
Duração: 1h33min
Direção: Sylvain White
Roteiro: David Birke (Baseado em um personagem de Victor Surge)
Elenco: Joey King, Julia Goldani Telles, Jaz Sinclair e outros.
Lançamento: 23 August 2018 (Brazil)
Censura: 12 anos
IMDB:
Slender Man: Pesadelo Sem Rosto

 

 

 

:::

:: Assista abaixo ao trailer:

Previous LOVECRAFT: MEDO DO DESCONHECIDO (Lovecraft: Fear of the Unknown, 2008)
Next DEAD CAN DANCE :: Anuncia “Dionysus” sem Lisa Gerrard

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *